Cidadeverde.com
Entretenimento

Branca de Neve e os 700 anões em apresentação erótica em Teresina

Imprimir

O espetáculo Branca de Neve e os 700 anos será apresentado no Theatro 4 de Setembro nesta sexta, às 20h. O esétáculo surgiu de uma viagem à Portugal, feita pela atriz piauiense Carmem Carvalho, onde conheceu o livro do autor português José Vilhena intitulado “ Branca de Neve e os 700 anões”. A obra foi escrita no ano de 1962, e adaptada para o teatro pelo dramaturgo Aci Campelo no ano de 2000 a pedido de Carmem Carvalho. A atriz nos conta que achou a história super interessante, onde a Branca de Neve é uma prostituta.

Carmem relata que “o autor José Vilhena trata a prostituição de forma irônica onde a trajetória da Branca de Neve e o conflito entre a sociedade e o erotismo, pois a prostituição está veiculada com todos os ramos da sociedade, igreja, polícia, política e família”. O texto traça um painel, às vezes cômicos às vezes trágicos, da vida de Branca de Neve em seus diversos níveis e momentos.

Humorista, ilustrador, escritor, editor e pintor, o autor José Vilhena é um crítico mordaz dos costumes e da sociedade portuguesa, para ele um bom humorista está muito ligado a uma crítica política, a uma crítica de costumes e a uma crítica dos poderosos, pois os poderosos têm mania de grandezas e tudo isso é destruído com o humor, pois quando se ridiculariza uma pessoa, toda aquela proa vai por água abaixo.

Carmem Carvalho começou a fazer muito cedo, montando diversos espetáculos desde a década de 70. Para a montagem de “Branca de Neve e os 700 anões” Carmem nos conta que “toda a produção do espetáculo foi paga com doações de amigos e pessoas diversas da sociedade teresinense”. Para ela foi muito gratificante fazer uma produção com doações espontâneas, e que essas contribuições voluntárias custearam o espetáculo que na época custou cerca de cinco mil reais. Entre os doadores a atriz contou com a doação de Cinéas Santos, Jesualdo Cavalcante, Hugo Napoleão, Welington Dias, Maneco Nascimento, Osmar Junior, Heli Batista e Lourdes Rufino,

O texto de José Vilhena traça a trajetória de Branca de Neve completamente diferente da estória original. De comum com a famosa história infantil, só a moça que continua bela como sempre e o destino de enfrentar a malvada madrasta. A diferença começa quando ela tem de conviver, a espera de seu príncipe encantado, não com sete, mas com 700 anões, homens ávidos por luxuria e prazer. Quando sua mãe morreu, o pai casou-se novamente e ela ganhou a madrasta, chamada de a Rainha das Bifanas, mulher vaidosa, ciumenta e cruel que a expulsou de casa, que se entregou a vida, mas sem descuidar da boa forma, nem da formação para poder enfrentar as agruras. 

Tags:
Imprimir