Cidadeverde.com
Política

Ciro sobre escolha de Regina: "espero que Wellington não esteja pensando em 2022"

Imprimir

O senador Ciro Nogueira revelou, nesta segunda-feira (23), que não acredita que o governador Wellington Dias esteja pensando nas eleições de 2022 ao indicar a atual senadora Regina Sousa (PT) como a sua vice na chapa majoritária para 2018. Com o PT na vice, o partido não sairia do comando do Estado, caso o governador, se reeleito em outubro deste ano, deixe o Palácio de Karnak para se candidatar ao Senado.

"Eu espero que o Wellington não esteja pensando em 2022 com esta atitude. Esteja pensando em escolher o melhor vice para a sua gestão e que ele tenha sucesso como governador do Piauí.", disse em entrevista à TV Cidade Verde.

Ciro, que deixou claro que seu partido está fora da discussão sobre vice, afirmou ainda que chegou a aconselhar o governador para anunciar logo que, caso seja reeleito, vai ficar no mandato até o fim. "Eu disse: Wellington, quer acabar com essa confusão? Anuncie que vai ficar até o final do governo. Acaba essa disputa, fica essa situação. Acho que você completa um ciclo de quatro governos no Estado, consolida o seu projeto e a gente encerra essa discussão. Acho que era o ideal. Vamos viver primeiro 2018. Eu falei que nosso partido terá candidato em 2022, mas acho que é correto. O Progressistas se tornou o maior partido. Apoiamos o PT em duas legislaturas. Não estamos aqui cobrando o apoio do PT. Acho que era o justo, mas o futuro a Deus pertence. O partido tem que sonhar. Eu sou muito cobrado de o maior partido do Piauí não ter candidato agora. Isso é fruto  do compromisso que nós tivemos na eleição de 2014. Estamos cumprindo a nossa palavra.", declarou, garantido que mantém o apoio pela reeleição do governador e não discute mais nada em relação ao cargo de vice.

"Continuamos mantendo a nossa palavra de apoiar. Espero que até o final da semana tenhamos uma definição sobre essa chapa. Quando saimos da discussão eu parei de discutir. Só se falava nisso e criava um certo desconforto. A gente fica  um pouco contente de estar fora dessa discussão. É uma definição do governador com os outros partidos. O progressstas está fora dessa discussão", afirmou.

Apesar de querer focar nas eleições deste ano, o senador não esconde que em 2022 o Progressistas vai entrar na "briga" pelo Karnak. "Não estamos aqui cobrando apoio do PT em 2022", ressaltou.

Marcelo Castro

Ciro disse que ainda aguarda um anuncio oficial da chapa majoritária do governador e que, se realmente o 2º nome ao Senado for de Marcelo Castro, vai garantir seu apoio. “O Marcelo é um trabalhador. O que tem que haver agora é a confiança dos partidos. A chance de vitória é muito grande. Definido terá meu trabalho e esforço. Tem tudo para ser um grande senador para me ajudar em Brasília”, declarou.

Foto: Catarina Malheiros

Cenário nacional

Presidente nacional do Progressistas, Ciro disse que na quinta-feira o partido vai anunciar oficialmente o apoio ao pré-candidato a presidente pelo PSDB, Geraldo  Alckmin. Ele, que preferia apoiar Ciro Gomes, foi voto vencido pela executiva nacional.

"No âmbito nacional, eu não tenho hoje como levar os Progressistas a apoiarem o presidente Lula. 90% são contra, com exceção do diretório do Piauí. Ficamos entre Ciro Gomes e Geraldo Alckmin. Fizemos esse processo de escolha e eu defendi que Ciro Gomes faria mais  pelo Piauí do que uma pessoa de São Paulo, mas majoritariamente o partido optou por Alckmin. Na quinta-feira vamos anunciar o apoio", finalizou.

Hérlon Moraes
herlonmoraes@cidadeverde.com

Imprimir