Cidadeverde.com
Política

Heráclito nega crise com saída de Rodrigo Martins e critica governistas

Imprimir

O deputado federal Heráclito Fortes (Democratas) não acredita que a coligação que apóia a candidatura do deputado Luciano Nunes (PSDB) ao govenro esteja perdendo força frente a desistência do deputado Rodrigo Martins (PSB) à reeleição. Para o deputado, não existe crise na chapa e a oposição está querendo se aproveitar para tentar enfraquecer a candidatura de Luciano Nunes.

De acordo com Heráclito, a atual gestão do governo é que não tem correspondido aos anseios do povo e por isso está perdendo apoio popular.

O que tem-se comentado é que o PSDB, PSB e Democratas, - que formam a chapa de Luciano - estão sofrendo uma baixa após o anúncio de desistência da candidatura de Rodrigo Martins, que era considerado um nome forte dentro da coligação para conseguir um maior cociente eleitoral dentro da chapa porporcional. Heráclito discorda por acreditar que isso não repercute negativamente na estratégia eleitoral da chapa.

“O que acontece, vamos ser bem claros, é que estão tentando desviar jogando nas nossas costas, o que está acontecendo do outro lado, o desespero, a queda dos candidatos majoritários, de maneira gritante, a crise está na campanha ao governo do adversário que está caindo [...] Lógico que até o dia da eleição é uma caminhada longa. A crise é essa e o resto é consequência. O Luciano está muito tranquilo, é um homem que me surpreendeu, eu já conhecia suas qualidades, mas ele agora está mostrando acima de tudo, maturidade”, opinou. 

Heráclito Fortes lamentou a desistência de Rodrigo Martins, mas lembrou que o trabalho continua. “Vejo essa desistência com muita tristeza, pelo aspecto social e afetivo. Rodrigo foi e é um grande companheiro na Câmara. Solidário, teve seus motivos expressados e resolveu não ser candidato. É uma decisão que você tem que acatar e respeitar, até porque renuncia é um ato unilateral. É tocar para frente. Isso nos faz redobrar um pouco o trabalho durante essa caminhada, mas a vida é assim, precisamos seguir em frente. Espero que outros fatos não ocorram”, observou. 

O parlamentar fez um apelo pedindo que a justiça eleitoral não se omita do seu papel de apurar e fiscalizar, sobretudo, as ações do governo atual.

“Peço que a justiça eleitoral não se omita, que apure, a mim, a todos. Agora não é possível que em um momento em que você prega moralidade, que a Lava Jato está aí dizimando pelo Brasil afora vários esquemas, o Piauí continua no mesmo. O Piauí precisa mudar os costumes, o método de governar com o Luciano e os costumes cabe a justiça eleitoral analisar de maneira isenta e firme o que está acontecendo por aí”, finalizou.

Lyza Freitas
[email protected]

Imprimir