Cidadeverde.com
Geral

Frustrado com atitude dos pais, Sílvio Mendes quer que vacinação se torne lei

Imprimir

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo ainda não tem surtido efeito na capital. Com o baixo índice de cobertura vacinal, o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Sílvio Mendes, se disse frustrado com a atitude dos pais e quer que, em Teresina, a vacina se torne obrigatória por lei e com responsalização para quem descumpri-la.

"Olha a só a que ponto a gente chega. Eu tô atrás de um vereador pra elaborar uma lei, [a gente ajuda], pra tornar obrigatória a vacina em Teresina, com responsabilização para os pais ou quem se diz responsável e não está sendo tão responsável", desabafa o presidente da FMS.

Mesmo com o Dia D, que ocorreu no fim de semana, apenas a metade do público-alvo foi imunizado. A campanha nacional acaba daqui a três dias. Sílvio Mendes faz um alerta e diz que "é questão de tempo para essas doenças chegarem aqui".

"Realmente a situação é de preocupação, frustração. Teresina possui 49.330 crianças até cinco anos de idade. A única forma de evitar o sarampo, a paralisia infantil, a caxumba e a rubéola é através da vacinação. Até hoje, apenas 49%, ou seja, metade das crianças que precisam ser protegidas, estão protegidas, e poderão correr risco. Só sabe o que é uma criança com paralisia infantil quem, em anos passados, teve criança assim, porque é uma sequela para toda a vida", disse o presidente da FMS.

Sílvio Mendes ressalta ainda que já há registro de mortes por sarampo no país.

Sílvio Mendes, presidente da FMS

"A doença foi reintroduzida no Brasil e é uma questão de tempo chegar aqui. Só a vacinação de 95% de cada 100 crianças poderá evitar isso. Não vacinando é uma questão de tempo para essas doenças estarem entre nós novamente". 

A campanha segue até o próximo dia 31, mas as doses continuarão disponíveis nos postos de saúde de Teresina.

 

Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir