Cidadeverde.com
Viver Bem

Os tratamentos indicados para tratar ejaculação precoce

Imprimir

Um temor ainda maior para a maioria dos homens do que ficar careca, como acabar com a ejaculação precoce. Essa disfunção é sinônimo de entrar em pânico, um verdadeiro terror, fobia e tudo de ruim na nossa vida.

 

Métodos Naturais
Em muitos casos a ejaculação precoce fica melhor por conta própria ao longo do tempo. O tratamento pode não ser necessário. Praticar técnicas de relaxamento ou usar métodos de distração pode ajudá-lo a atrasar a ejaculação. Para alguns homens, parar ou reduzir o uso de álcool, tabaco ou drogas ilegais pode melhorar o quão bem eles podem controlar a ejaculação. Seu médico pode recomendar que você e sua mulher, ou mulheres, pratiquem certas técnicas para ajudar a retardar a ejaculação precoce. Por exemplo, você pode aprender a identificar e controlar as sensações que levam à ejaculação. E você pode aprender a se comunicar com a parceira para retardar ou parar a estimulação. Ou pode tentar uma posição diferente (como deitado de costas) durante a relação sexual. Aconselhamento ou terapia sexual podem ajudar a reduzir a ansiedade relacionada à ejaculação precoce. Você também pode optar por conhecer todas as técnicas e métodos naturais que já ajudou mais de 20.000 a eliminar a ejaculação precoce clicando aqui e solicitando seu acesso ao material online gratuito.

 

Medicamentos
Antidepressivos e medicamentos são por vezes utilizados para tratar a ejaculação precoce. Estes incluem medicamentos como clomipramina (anafranil) e paroxetina (Paxil). Eles são usados ??porque um dos seus efeitos secundários é o orgasmo inibido, o que ajuda a atrasar a ejaculação. Tramadol (Ultram) é um medicamento que tem sido usado por muitos anos para controlar a dor e que pode ser usado para retardar a ejaculação. Existem também cremes, géis e um spray que pode ser usado para tratar a ejaculação precoce, reduzindo a sensibilidade. Estes medicamentos são aplicados no pênis antes do sexo. Eles incluem lidocaína e lidocaína-prilocaína. Mas alguns desses medicamentos também podem afetar a mulher ao reduzir a sensibilidade dela também.

 

Imprimir