Cidadeverde.com
Viver Bem

4 truques para você acordar com mais disposição

Imprimir

Para muitos, acordar cedo com disposição é duro. Mas a ciência pode ajudar a tornar essa tarefa um pouco mais fácil. Diversos estudos indicam soluções para quem sempre quer (mas nunca pode) dormir mais cinco minutinhos. Alguns deles foram reunidos num texto publicado nesta semana pelo Business Insider. De acordo com um trabalho da universidade australiana de Victoria, essa preguiça matinal tem até um nome específico: inércia do sono. Testes realizados em laboratório pela instituição mostraram que ela pode durar mais de 30 minutos e que afeta as funções cognitivas – como percepção, atenção e memória. Mas há vários remédios para combater esse problema.


Café

Um desses remédios é o cafezinho. A cafeína, substância estimulante presente nessa bebida, age no sistema nervoso. Ela ajuda no combate à inércia do sono, de acordo com um estudo de pesquisadores americanos da universidade da Pensilvânia e da Escola de Medicina de Harvard.

Carboidratos

Outro remédio contra a preguiça matinal é trocar alimentos gordurosos pelo bom e velho pão francês. Um estudo da universidade australiana de Sydney mostrou que quem tem uma primeira refeição do dia rica em fibras e carboidratos fica mais alerta do que aqueles que optam por um café da manhã rico em gordura.

Chocolate amargo

Entretanto, comer um chocolate amargo pela manhã pode ajudar no combate à preguiça. Quem afirma isso são os pesquisadores da universidade de Reading, do Reino Unido. De acordo com eles, os flavonóides presentes no cacau (que é a matéria-prima do doce) provocam uma melhora aguda da visão e das funções cognitivas.

Chiclete

Se todas essas dicas não ajudarem, masque um chiclete. Segundo um estudo da universidade Northumbria, do Reino Unido, isso também faz bem às funções cognitivas do nosso corpo. Mas nunca deixe de tentar dormir entre sete e oito horas por noite. Para a maioria dos especialistas, esse é o tempo de sono necessário para quem deseja ter um dia produtivo e uma vida com saúde.

 

Fonte: Revista Exame

Imprimir