Cidadeverde.com
Política

Vereadores cobram da Águas de Teresina cronograma de esgotamento para capital

Imprimir

A Câmara de Teresina realizou na manhã desta quarta-feira  (07) uma audiência pública sobre o esgotamento sanitário de Teresina.  A capital do Piauí tem pouco mais de 19% de cobertura por saneamento básico.

O autor do requerimento para a audiência, vereador Aluisio Sampaio,  afirma que a falta de saneamento atrapalha o desenvolvimento econômico da cidade.

"Eu fui secretário do Meio Ambiente em Teresina. O esgotamento sanitário é hoje a principal questão do Meio Ambiente. Em Teresina, parte dos nosso rios são poluídos por falta de esgotos. Ocorrem outros reflexos como doenças por contaminação. Afeta ainda o desenvolvimento  econômico. Temos bairros como Saci, Promorar e Parque Piauí, que  poderiam ser verticalizados e não são por falta de esgoto. A empresa deve apresentar um cronograma do que executou até agora", disse o parlamentar. 

Segundo o vereador, o desenvolvimento só se concentra  nas áreas como mais saneamento. 

"A zona Leste é muito mais concentrada e tem mais verticalização pela concentração do esgoto. O próprio ordenamento da prefeito fala dessa macroestrutura para que a cidade cresça de maneira uniforme e privilegie outras regiões como a zona Sul", afirmou.

O diretor- presidente da empresa Águas de Teresina, Cleyson Jacomani, afirma que os investimentos no setor devem chegar a RS 1 bilhão. 

"Teresina ainda figura entre as cidades com o menor índice de cobertura de esgoto sanitário. Queremos mudar essa realidade. A concessão tem 30 anos . É a nossa prioridade inicial  resolver a falta de água. Agora para investir em esgoto temos mais de R $ 1 bilhão. Destacamos que 80% do valor é para o esgoto. Em 16 anos queremos está com 80% da cidade de Teresina coberta pela rede de saneamento.  Até 2020 devemos dobrar a rede de esgotamento que hoje é de 20%", disse.

O presidente da concessionária afirma que até o momento a empresa ja investiu mais de 400 milhões em Teresina. 

"A concessão completa 1 anos e 4 meses e já investimos mais de R$  400milhões. A partir do próximo ano será uma ação maior porque estaremos estruturando uma cidade já pronta. Então os transtornos oriundos desta questão estão bem planejados. Vamos fazer as obras da melhor forma. Estamos fazendo investimento com equipamentos ultramodernos para causar o menores transtornos possiveis", assegura. 

 

Flash Lídia Brito
redacao@cidadeverde.com 

Imprimir