Cidadeverde.com
Geral

Moradores temem novo rompimento na BR-343 e passam noite em claro

Imprimir

Os moradores da Avenida Fernando Pires Leal, no Recanto das Palmeiras, localizado na zona Sudeste de Teresina, passaram a madrugada desta terça-feira (4) acordados. A população ficou em alerta, monitorando a chuva que caiu sobre a cidade com medo que um trecho da BR- 343 volte a romper. 

Em março deste ano o trecho da BR localizado no Recanto das Palmeiras desmoronou e a água das chuvas atingiu dezenas de casas do bairro. A residência da enfermeira Diliane Carvalho, 30 anos, foi uma das mais destruídas com o rompimento. Ela perdeu quase tudo e teme que o problema ocorra novamente. 

Em vídeos gravados pela enfermeira na manhã de hoje, é possível ver erosão no trecho próximo ao asfalto. Ela também mostra que a água atingiu nível alto na madrugada de hoje e que parte da avenida ficou alagada. 

“À noite tinha água na rua, abriram o trecho do canal mas ainda assim a rua ficou debaixo de água. Ficou todo mundo acordado a noite inteira. A  preocupação é porque tem vários trechos com erosão na margem. Trechos de até 100 metros que podem romper. Erosão muito grande chegando no asfalto e passa muito carro em cima. Por isso filmei. Nosso medo é de romper e descer uma quantidade  maior de água e provocar um maior estrago.”, teme Diliane. 

Diliane relembra que sofreu um drama em março deste ano. “A gente ainda esta recuperando a casa com ajuda de amigos porque o material que a prefeitura deu pra gente não nem para começar. Tem família que ainda está na mesma situação”, conta a enfermeira.

Na semana passada o  superintendente da PRF-PI, Welendal Tenório, e o superintendente do Dnit-PI, Ribamar Bastos, afirmaram que, se nada for feito de forma emergencial,  trechos da BR-343  vão romper no período chuvoso.  

Os maiores riscos de rompimento estão na intersecção da linha férrea, entre Teresina e Altos, cruzamento de acesso ao bairro Planalto Uruguai, e o trecho próximo à Hot Sat. O outro trecho que pode romper fica situado próximo ao condomínio Mirante do Lago.O superintendente do DNIT ressaltou que as obras são de responsabilidade do Governo do Estado, através do Departamento de Estradas e Rodagens.  


Izabella Pimentel
[email protected] 

Imprimir