Cidadeverde.com
Geral

Abastecimento deve ser resolvido até 2020, diz presidente da Águas de Teresina

Imprimir

O diretor-presidente da Águas de Teresina, Cleyson Jacomini de Sousa, fez um balanço da atuação da empresa que opera na capital há um ano e meio. Em entrevista ao Notícia da Manhã, ele elencou os desafios da gestão e planeja resolver o problema de abastecimento d'água até 2020 na zona urbana.

Jacomini comentou sobre os avanços do esgotamento sanitário em Teresina que saiu de 19% para 26%.

"Devemos atingir 40% até o fim de 2020 e daí os benefícios advindos do saneamento que são a questão da saúde, a valorização imbiliária, a preservação do ambiente e vamos investir onde tem que ser investido que é na prevenção. A gente vive um momento de tetos de gastos na Saúde e Educação, nos últimos meses, e como resolver essa equação? investindo em saneamento", explica Jacomini.

Entre os problemas enfrentados pela empresa está a tubulação considerada muito antiga. Ele citou como exemplo o buraco que se abriu na Avenida Raul Lopes, na zona Leste. 

"Redes inadequadas, muito  antigas, culminando com ligações irregulares de água na rede de esgoto e as fortes chuvas culminaram com a abertura do buraco [...] ao restabelecermos o buraco, fizemos uma inspeção mais completa através de equipamentos com câmera e detectamos que necessitava fazer outro trabalho", explica Jacomini destacando que equipes da Águas de Teresina trabalham em regime de plantão para conclusão da obra e liberação da avenida. 

A rede antiga implica também em quase 4.500 vazamentos de água por mês, problema que, segundo o diretor-presidente, a empresa está focada em resolvê-lo. Ele reconhece que as obras podem refletir em eventuais transtornos, mas que são necessárias para a solução do problema. 

"A rede está esfarelando, ramais de ligação de unidades também nessa situação, material inadequado. Isso, no momento em que a gente está priorizando o abastecimento, injetando água na rede, aí esses problemas ecoam. Muitos buracos são necessários para reparos e pode eventualmente gerar transtornos. Esse é um problema que a gente está focado em resolvê-lo", finaliza  Cleyson Jacomini.

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Imprimir