Cidadeverde.com
Geral

Escolas de samba se reinventam e planejam festas para o Carnaval

Imprimir
  • presidentesescolassamba1.jpg Izabella Pimentel
  • presidentesescolassamba.jpg Izabella Pimentel
  • jamil-eskindo.jpg Izabella Pimentel
  • skindo-sambao.jpg Izabella Pimentel
  • samba.jpg Izabella Pimentel
  • manoel-sambao.jpg Izabella Pimentel
  • jamil-manoel.jpg Izabella Pimentel
  • enfeitoescarnaval.jpg Izabella Pimentel
  • eliane-brasasamba.jpg Izabella Pimentel

Os dirigentes das escolas de samba de Teresina estão se reinventando para não ficarem de fora do Carnaval. Há três anos os desfiles das agremiações deixaram de ser realizados por conta do fim da destinação de recursos financeiros da prefeitura aos grupos. 

A ideia de alguns diretores de escolas de samba é fazer festas no Carnaval e prévias carnavalescas. O diretor da Sambão, Manoel Messias, disse ao Cidadeverde.com que o importante é “não ficar parado”. 

Manoel tem mágoa da prefeitura de Teresina e defende que é uma “falta de respeito” com a memória cultural da cidade as escolas de samba não receberem apoio financeiro do poder municipal. Neste ano o enredo da Sambão seria o centenário do ex-governador Alberto Silva. 

“Vamos fazer uma festa  para não ficarmos parados. É lamentável não recebermos apoio, a tendência é o fim do carnaval de Teresina porque não temos os herdeiros do samba. Até agora não entendi porque as escolas de samba ficaram de fora do Carnaval. Mas não vamos ficar parados no carnaval”, disse o diretor da escola Sambão. 

A festa será no “coração” da Sambão: a região da baixa d’égua, no Centro de Teresina. O “bloco” foi batizado de Baixa da Égua Folia e será realizado no domingo e terça-feira de Carnaval. Mais de 100 componentes da bateria da Sambão vão animar os foliões. 

“Vamos ter segurança, banheiros públicos e muita animação. Será gratuito. Vai ser no cruzamento da rua Benjamin Constant com a Firmino Pires, o popular “Tzão da Folia”. 

Jamil Said, presidente da Liga das Escolas de Samba de Teresina e diretor da Skindô, disse que o sentimento é de tristeza ao ver as escolas de samba não desfilarem. “A gente se sente arrasado. São 75 anos de Carnaval jogados fora”, diz Jamil. 

Jamil fará no dia 24 de fevereiro uma reunião com os presidentes de escola de samba para organizar festas no Carnaval. 

“A ideia é fazer concurso de fantasia, concurso de bateria, mas ainda vamos planejar. Deve acontecer no domingo, segunda e terça-feira de Carnaval”, adianta Jamil. A festa será realizada na rua Eletricista Gregório, no Bairro Planalto Ininga. 

A presidente da Brasa Samba, Eliane Oliveira, fará prévias carnavalescas no Centro Norte. Ainda não há datas definidas, mas o projeto é fazer ensaios da bateria da escola uma vez por semana antes do Carnaval. 

Eliane também tem mágoas com a prefeitura de Teresina e critica a “falta de apoio ao Carnaval das escolas de samba”. 

“As escolas de samba só tem a perder sem esse apoio. A gente fica trabalhando achando que vai ter apoio e não tem. E essa expectativa destrói a gente por dentro porque a comunidade cobra a gente pela festa. O Carnaval também gera emprego e renda e as pessoas ficam sem”, critica Eliane.

 

Izabella Pimentel
redacao@cidadeverde.com

Imprimir