Cidadeverde.com
Viver Bem

Pilates: conheça os benefícios para mulheres e homens

Imprimir

Foto: Pixabay/ fotos gratis

Uma atividade física já bastante difundida, mas que segue atraindo cada vez mais adeptos. Este é o pilates, onde pessoas de todas as idades, condicionamento físico e ambos os sexos podem praticar as sessões normalmente. Os benefícios são amplos e oferecem vantagens específicas aos pacientes, de acordo com as suas necessidades.

O pilates é um tipo de atividade física que busca o controle corporal, fortalecendo a musculatura e melhorando seu tônus, além de conferir maior flexibilidade. Atualmente, alguns médicos a consideram uma forma de terapia, por ser um exercício individualizado.

Ele é indicado para pessoas de todas as idades, podendo ser realizado por homens, mulheres, crianças, grávidas e idosos que já fazem atividade física. Também é indicado para os sedentários, ajudando a alongar e a fortalecer os músculos. 

Como funciona

Atualmente, existem dois tipos de pilates: o de solo e com aparelhos. Ambos seguem os mesmos princípios e repertório, mas com algumas diferenças na realização. Nos aparelhos, são usados os equipamentos desenvolvidos por Joseph Pilates, que se baseiam em molas. Eles podem tanto facilitar movimentos de pessoas com limitações físicas, como dificultar, levando o aluno a níveis mais avançados.

Já o de solo, considerado mais difícil, é feito apenas com o peso do corpo, exigindo do aluno um controle muito maior dos seus movimentos e músculos. Essa técnica tem a vantagem de poder ser praticada em qualquer lugar.

Ganho sexual

O pilates trabalha bastante a musculatura do assoalho pélvico, tendo como benefício indireto a possibilidade de ter mais prazer durante o sexo, principalmente no caso das mulheres.

Homens e o pilates

Para muitos homens, ainda existe a visão de que o pilates é uma prática “fraca” ou “leve” e, assim, ideal para mulheres. Pois ele traz, sim, alguns ganhos para o público masculino: abdome definido, diminuição do estresse, correção postural e melhora da performance esportiva.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir