Cidadeverde.com
Geral

Tempestade com vento derruba árvores e causa destruição em Teresina

Imprimir
  • arvores.jpg Rua 13 de maio - Centro
    Reprodução Internet
  • arvortes.jpg Rua 13 de maio - Centro
    Reprodução Internet
  • arvortes1.jpg Rua 13 de maio - Centro
    Reprodução Internet
  • arvortes2.jpg Avenida João XXIII- zona Leste
    Thiago Bastos
  • arvortes3.jpg Avenida João XXIII- zona Leste
    Thiago Bastos
  • domseverino.jpg Avenida Dom Severino - zona Leste
    Herlon Moraes
  • duqeudecaxias.jpg Avenida Duque de Caxias - zona Norte
    Pericles Mendel
  • bombeiros.jpg Avenida João XXIII
    Maira Monteiro/TV Cidade Verde
  • bombeiros1.jpg Avenida João XXIII
    Maira Monteiro/TV Cidade Verde
  • bombeiros-arvores.jpg Avenida João XXIII
    Maira Monteiro/TV Cidade Verde
  • Untitled-5.jpg Avenida João XXIII
    Maira Monteiro/TV Cidade Verde

Os fortes ventos que acompanharam a tempestade que caiu em Teresina no início da noite deste sábado(02) deixou destruição em várias regiões da cidade, com árvores caídas e interditando ruas. Houve registro de queda de torres de comunicação e teto de estabelecimentos comerciais que foram levados pelos fortes ventos, que chegaram a 65,5 km por hora na estação Instituto Nacional de Metrologia (Inmet).

A situação mais grave ocorreu na rua 13 de maio ao lado do Theatro 4 de Setembro. Quando uma árvore caiu por cima de veículos que estavam estacionados ao lado do teatro. Como os galhos atingiram a rede elétrica, o perigo se tornou ainda maior. 

Pelo menos um veículo ficou totalmente destruído e outros também tiveram danos com a queda da árvore de grande porte. 

Em outra região da cidade, na avenida João XXIII no cruzamento com a avenida Homero Castelo Branco, outra árvore também interditou a pista de baixo da avenida. O Corpo de Bombeiros está no local com uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para desobstruir a via. 

A PRF informou ainda que um ônibus intermunicipal saiu da pista na BR-343, próximo ao Frango Dourado, mas não houve feridos. 

De acordo com o climatologista Werton Costa, foi um temporal típico de verão, que se formou na linha de instabilidade. 

"A chuva não foi expressiva em volume, mas teve um plus no que a gente chama de  rajada de ventos, que não teve um fluxo contínuo, mas foi uma rajada suficientemente intensa para provocar certos desgastes na cidade de Teresina. Do ponto de vista técnico foi diferente de outras situações que já ocorreram na cidade, quando tivemos rajadas de vento intensas provocadas por uma única nuvem, como a cumulonimbos, que era uma única nuvem e que descarregava a rajada de ventos. Nós já tivemos de duas nuvens cumulonimbos se encontrando e formando uma grande rajada (como ocorreu há 15 dias), mas o que nós presenciamos ontem foi algo maior, que se estendeu por várias cidades, vários estados e é o que chamamos de linha de estabilidade, ou tempestade multicélula como se tivesse um alinhamento de várias nuvens de tempestade que se projetava do leste do Maranhão ao oeste cearense e que atravessava todo o estado do Piauí, passando por Teresina na diagonal", explicou o professor da Universidade Federal do Piauí (UFPI). 

Ele acredita que os ventos, registrados pelo Inmet em velocidade de 65,5 km/h, devem ter chegado a uma velocidade maior, devido aos estragos provocados na cidade.

"Quando se faz um apanhado rápido pela quantidade de árvores tombadas e algumas de grande porte arrancadas pela raiz  e pela extensão do danos é possível estimar possa ter ultrapassado e muito esses 65 km/h", destaca Werton Costa.

 

Caroline Oliveira
carolineoliveira@cidadeverde.com

Imprimir