Cidadeverde.com
Geral

Funcionários de fast food prestam depoimento à polícia; dois faltam

Imprimir
  • canabrava_(7).jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • canabrava_(6).jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • canabrava_(5).jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • canabrava_(4).jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • canabrava_(3).jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • canabrava_(2).jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • canabrava_(1).jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com

Funcionários que testemunharam o assalto à rede de fast food Mc Donald’s, em Teresina, prestaram depoimento na manhã desta quarta-feira (20). No entanto, dois dos intimados não compareceram ao 12º  Distrito Policial, sendo que um deles foi ao trabalho apenas um dia depois do assalto. 

No material apreendido no veículo usado pelos criminosos estava o HD com imagens que registraram a ação criminosa. A Polícia Civil também está de posse de luvas, macaco hidráulico, mochilas e um celular que estava com os suspeitos. 

“Conversamos com o gerente e vamos extrair todas as imagens para que possamos colher mais provas contra esses elementos. Já temos a certeza que foram os quatro criminosos que participaram diretamente e tem muito mais gente envolvida. Estamos investigando”, disse o delegado Ademar Canabrava, titular do 12º DP. 

De acordo com a Polícia Civil, desde o início, as investigações apontam que o crime foi “parada dada” e que os criminosos tinham informações privilegiadas sobre a logística do estabelecimento. 

O prazo para conclusão do inquérito policial termina esta semana. Na semana passada, o juiz Jorge Cley Martins, da Central de Inquéritos, converteu em preventiva a prisão de William dos Santos, Leonardo Clério Marques de Melo e Jean Carlos Rodrigues. Os três são suspeitos de participar do assalto. Na ação criminosa os assaltantes trocaram tiros com a polícia e um deles morreu. Alípio Moreira de Sousa Neto, 23 anos, era funcionário comissionado do metrô de Teresina.

Os criminosos entraram no Mc Donald's no dia 13 de fevereiro, através do drive thru e utilizaram um cabo de aço para arrancar o  cofre do estabelecimento.  O Cidadeverde.com apurou que no compartimento havia cerca de R$100 mil. 

Flash Graciane Sousa
[email protected] 

Imprimir