Cidadeverde.com
Esporte

Burocrático, Atlético-MG segura 0 a 0 com o Defensor e vai à fase de grupos

Imprimir

O Atlético-MG foi pragmático nesta quarta-feira para garantir vaga na fase de grupos da Libertadores. Sem dar chance para a zebra, o time alvinegro se apoiou na vantagem construída na partida de ida diante do Defensor-URU, segurou um empate por 0 a 0 no Independência e cumpriu seu primeiro grande objetivo no ano ao chegar ao estágio principal do torneio continental.

Com a classificação encaminhada após o triunfo por 2 a 0 em Montevidéu, o Atlético-MG não quis repetir o que viveu na fase anterior, quando ficou a um gol de ser eliminado depois de abrir 3 a 0 em casa e permitir a reação do Danubio, que diminuiu para 3 a 2. O técnico Levir Culpi deixou bem claro suas intenções antes mesmo da partida, ao anunciar a escalação com o volante Zé Welison na vaga do atacante Chará.

O futebol ficou longe de encantar a torcida, que em alguns momentos pareceu até irritada com o excesso de cuidado do Atlético-MG. Se a vaga nunca chegou a ser ameaçada, a expulsão de Zé Welison no início do segundo tempo preocupou. Mas o time alvinegro soube controlar as ações.

Agora, o Atlético-MG entra no Grupo E da Libertadores e vai estrear neste novo estágio diante do Cerro Porteño, quarta-feira que vem, novamente no Independência. Além destas equipes, compõem a chave o Zamora, da Venezuela, e o Nacional, do Uruguai

Curiosamente, o grande momento do Atlético-MG na partida desta quarta aconteceu logo aos quatro minutos, quando Cazares recebeu lançamento longo de Luan, dominou no peito, cortou o marcador e bateu de fora da área, na trave. O equatoriano parecia a fim de jogo e arriscou do meio de campo no minuto seguinte.

Mas parou por aí. O Atlético-MG sentiu a falta de peças criativas e viu a opção de Levir deixar o time muito defensivo. Elias não apoiava pela esquerda como Chará, e com Cazares e Luan bem marcados, o jogo ficou bastante truncado no meio de campo, até porque o Defensor também pouco se arriscava.

Somente quando a individualidade de Luan falou mais alto o Atlético-MG voltou a criar. Aos 30 minutos, o atacante driblou dois jogadores pela direita e cruzou para Ricardo Oliveira, que dividiu com o goleiro e quase marcou. Aos 39, o próprio Luan deu passe de trivela com muito estilo para Fábio Santos, que parou em Rodríguez.

O Atlético-MG voltou ainda mais burocrático para a etapa final, e foi castigado logo aos dez minutos com a expulsão de Zé Welison, que cometeu falta após erro no meio de campo e recebeu o segundo cartão amarelo. Com um a mais, o Defensor controlou a posse de bola e tentou pressionar, mas esbarrou na própria falta de criatividade.

Aos 30 minutos, o time visitante teve seu melhor momento em toda a partida, em chute de fora da área de Rabuñal, que exigiu trabalho de Victor. O apito final confirmou a classificação atleticana e a certeza na torcida de que o Atlético-MG terá que jogar muito melhor em casa para ir longe nesta Libertadores.

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-MG 0 X 0 DEFENSOR
ATLÉTICO-MG - Victor; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Adilson, Zé Welison, Elias, Cazares e Luan (Jair); Ricardo Oliveira (Chará). Técnico: Levir Culpi.
DEFENSOR - Gastón Rodríguez; Beltrán, Nicolás Correa, Maximiliano Perg e Villoldo; Álvaro González, Martín Rabuñal, Gonzalo Napoli (Laquintana) e Ergas (Navarro); Nicolás González e Pablo López (Piquerez). Técnico: Jorge Da Silva.
ÁRBITRO - Andrés Rojas (Fifa/Colômbia).
CARTÕES AMARELOS - Adilson, Jair (Atlético-MG); Álvaro González, Nicolás Correa, Villoldo (Defensor).
CARTÃO VERMELHO - Zé Welison (Atlético-MG).
RENDA - R$ 884.207,00.
PÚBLICO - 22.210 torcedores.
LOCAL - Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).

Por Gabriel Melloni
Estadão Conteúdo

Imprimir