Cidadeverde.com
Cidades

Adapi reúne criadores de suínos de Lagoa e proíbe comercialização

Imprimir

Foto: Divulgação/Governo Federal/Agência Brasil

Técnicos da Agência de Desenvolvimento Agropecuário do Piauí (Adapi) e secretários municipais de Lagoa do Piauí (a 40 km de Teresina) reuniram cerca de 30 criadores de suínos da região para alertarem sobre as consequências do foco da peste suína clássica descoberto na cidade na semana passada. 

Os criadores estão proibidos de comercializar carne suína e os próprios animais até terminarem as investigações a respeito das mortes de porcos em uma propriedade na zona rural do município vítima do vírus.  

De acordo com coordenador da Vigilância Sanitária de Lagoa do Piauí, Alcione Moraes, um veterinário da Adapi contextualizou os criadores sobre a comercialização e o consumo da carne e disse que o objetivo é erradicar a doença na região. 

Foto: Alcione Moraes

"O veterinário retirou todas as dúvidas deles e foi pedido que eles deixem de comercializar para evitar que a doença possa se alastrar. Acredito foi muito proveitoso", declarou. 

Alcione Moraes disse que os órgãos municipais continuam auxiliando as equipes da Adapi na logística e deslocamento até as propriedades na zona rural para agilizar os trabalhos.  

Entenda o caso

Um foco de Peste Suína Clássica foi confirmado em uma propriedade em Lagoa do Piauí. No local, havia 13 porcos e sete morreram em decorrência da doença e seis foram abatidos após a descoberta do caso. O vírus não é uma zoonoses, ou seja, não causa malefícios nos humanos e em outros animais, mas é altamente contagioso e os técnicos tentam erradicá-lo. 

O governador do Estado decretou emergência sanitária e duas portarias proibiram o trânsito de sudíneos intra e interestadual. 

Secretária municipal de Agricultura, Paula; secretário municipal de Administração, Marcos; coordenador da Vigilância Sanitária, Alcione Moraes; e veterinário da Adapi, Marcio.

 

Caroline Oliveira
redacao@cidadeverde.com

Imprimir