Cidadeverde.com
Viver Bem

Micro-ondas realmente compromete os nutrientes?

Imprimir

Foto: Pixabay/ fotos gratis

Presente em praticamente todas as cozinhas, o forno de micro-ondas construiu uma fama ruim e, talvez, precipitada de "destruir" os nutrientes de cada grupo alimentar das comidas durante seu aquecimento. Será que isso é verdade?

Diariamente diversas informações diferentes chegam às pessoas, ficando difícil distinguir o que é mito e o que é verdade sobre o uso desse eletrodoméstico. De uma coisa não há dúvida: a praticidade desse equipamento é incomparável, seja para esquentar alimentos instantâneos, descongelar carne para pratos mais complexos ou estourar um simples pacote de pipoca sem gordura.

O cozimento do alimento resulta na decomposição molecular das vitaminas. Quanto maior o tempo de cozimento, maior será a perda. Contudo, não é o suficiente para deixarmos de utilizar o equipamento.

Qualquer alimento que receba fortes quantidades de calor indiferente do meio de condução – cocção em panelas, forno elétrico, churrasqueira – tem sua composição química alterada com o tempo, o que contribui para a perda de nutrientes.

O que fazer?

A perda, na verdade, depende de diversos fatores como: quantidade de calor aplicada, quantidade de água, tempo de cozimento e, claro, quantidades de nutrientes que o alimento possui. No micro-ondas, por cozer rapidamente com menor quantidade de água, há uma perda menor de nutrientes, vitaminas e minerais.

Colocar uma tampa sobre o alimento, tanto no forno de micro-ondas quanto em outro tipo de processo de cocção, ajuda a reter a umidade do alimento. Isso favorece a cozinhar a comida de dentro para fora, o que preserva os nutrientes como vitaminas e minerais.

É importante ressaltar que nesse eletrodoméstico, a potência deve ser mantida baixa, garantindo que o alimento seja cozido rapidamente, mas sem que fique superaquecido. E lembrar que, quanto maior o tempo de exposição, maior a perda dos nutrientes.

Cuidados ao micro-ondas

Cuidado com os alimentos que possuem pele, casca ou membrana, como batatas, tomates, salsichas. Eles podem explodir ao serem aquecidos. Mas há uma dica importante: para evitar esse problema: eles alimentos devem ser furados com um garfo ou um palito para permitir a saída dos vapores

Grandes pedaços de carne não são ideais para esquentar. Neste caso, o calor pode não ser capaz de penetrar em todo o interior do alimento, deixando áreas frias ou cruas.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir