Cidadeverde.com
Geral

Fiscais da Cepisa são presos suspeitos de envolvimento em furto de energia

Imprimir

Foto: Roberta Aline/ Cidadeverde.com

Três funcionários da Cepisa, responsáveis pela fiscalização em unidades consumidoras para coibir os conhecidos "gatos", foram presos nesta terça-feira (18), em Teresina. De acordo com o delegado Laércio Evangelista, do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), um deles foi preso suspeito de furto qualificado e dois por prevaricação.

"Na residência do preso por furto, encontramos um medidor fraudado. Os outros dois foram presos por prevaricação pois, mesmo sabendo que o medidor estava fraudado, deixavam de autuar e emitiam um laudo informando que o medidor estava normal", disse o delegado.

O flagrante ocorreu na residência de um dos funcionários no bairro Parque Piauí, na zona Sul de Teresina, que também foi autuado por falsidade ideológica. 

"Ele estava sendo monitorado desde o ano passado quando uma equipe fez o mesmo procedimento em sua residência. Ele foi autuado também por falsidade ideológica porque assinava como se fosse sua esposa", informou o Greco, acrescentando que a fatura do suspeito era incompatível com o consumo. 

Os suspeitos não tiveram os nomes divulgados. Os presos por prevaricação foram liberados após autuação. Já o suspeito de furto será levado à audiência de custódia nesta quarta-feira (19). 

Por meio de nota, a empresa responsável pelo fornecimento de energia no Piauí esclareceu, entre outros pontos, que solicitou o desligamento por justa causa dos colaboradores envolvidos.

LEIA A NOTA NA ÍNTEGRA

A Equatorial Energia Piauí informa que, ao tomar conhecimento de suspeita de furto de energia contra colaborador, terceirizado, formalizou notícia-crime junto à Polícia Civil. 

No final da tarde de ontem (18), em operação conduzida pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), o colaborador foi preso em flagrante depois de constatada a irregularidade no equipamento de medição do seu domicílio. 

No momento da prisão, ele denunciou a participação de dois colaboradores, contratados de empresa prestadora de serviços à distribuidora, que também foram detidos na ação policial. 

A empresa esclarece que tem acompanhado as investigações da polícia e que já solicitou o desligamento por justa causa dos colaboradores envolvidos.

A Equatorial Energia Piauí faz valer um rígido código de ética para seus colaboradores próprios e terceirizados e não compactua em nenhuma hipótese com práticas como a que levou essas três pessoas à prisão.

A concessionária ressalta que o furto de energia é um crime, previsto no Código Penal brasileiro, que prejudica a toda a sociedade, impactando na qualidade e na segurança do fornecimento de energia elétrica, além de comprometer a arrecadação de impostos que poderiam ser aplicados em áreas essenciais como saúde e educação.

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Imprimir