Cidadeverde.com
Geral

Baretta revela que menor suspeito de matar colega planejava atentado em escola

Imprimir

O adolescente de 16 anos - que assumiu ter matado um amigo da mesma idade- teria confessado que planejava um atentado na escola onde estudava em Teresina. O coordenador do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), Francisco Costa, o Baretta, disse que o menor infrator revelou que "ia conseguir uma arma de fogo e um facão" para executar o ataque em massa. 

"Ele disse que estava planejando um atentado na escola onde estudava e que ia conseguir uma arma de fogo e um facão. Acredito que queria fazer como aquele massacre em uma escola de Suzano, em São Paulo", diz Baretta.

O Cidadeverde.com apurou que o adolescente ainda não teria executado o ataque porque seria facilmente preso. Ele teria também cogitado matar a irmã e um primo e que costumava acompanhar pela internet casos de assassinatos de homossexuais.

 A vítima foi assassinada na manhã desta terça-feira (16) na casa em que morava com a família no residencial Teresina Sul, na zona Sul da cidade. Um  vídeo mostra a confissão do menor infrator que ri enquanto dá detalhes do caso. 

 

CRIME PLANEJADO

Sem mostrar arrependimento, o jovem confessou à Polícia Civil detalhes da ação criminosa e que pretendia arrancar o coração da vítima.

Foto: Reprodução; Reprodução Italo Rodrigo

Vítima havia combinado um encontro em casa com o autor do crime

"Ele conta que amolou a faca e disse que perguntou como a vítima queria ser morta com golpes de faca no pescoço, garganta ou peito. Ele diz que a vítima tirou as cordas da rede para ser amarrada. Foi no consentimento, mas a vítima imaginava que era só um desejo entre eles", conta o coordenador do DHPP.

Foto: Roberta Aline/ Cidadeverde.com

Francisco Costa, o Baretta, coordenador do DHPP

"Eles combinaram esse encontro por meio do celular. Nas mensagens, perguntava se não tinha chances mesmo de aparecer alguém. A intenção era esquartejar a vítima, arrancar o coração, tirar foto e espalhar pelo WhatsApp. Só que a irmã da vítima- que costumava voltar para casa por volta do meio-dia- enviou mensagem dizendo que retornaria mais cedo. Foi um crime planejado. Ele é um psicopata", acrescenta Baretta. 

O menor infrator não tinha antecendentes criminais. O adolescente morto foi vendado, amordaçado e golpeado com pelo menos cinco perfurações. A família relatou ao DHPP que o rapaz não fazia uso de medicação controlada, mas que havia notado compartamento estranho e que pretendiam levá-lo ao psiquiatra. 

APREENSÃO

O adolescente foi localizado horas após o crime na casa da avó onde também foi localizada a faca mesma usada para cortar pão. 

Foto: Reprodução TV Cidade Verde

Vítima foi achada nesta casa onde morava com familiares

Ele já  foi encaminhado ao Complexo de Defesa da Cidadania e será ouvido pelo juiz. 

"Ele foi autuado por crime análogo a homicídio qualificado. O caso já foi comunica ao juiz da Infância e Juventude e MP. O juiz tem 45 dias para fazer a instrução criminal", conclui Baretta. 

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Imprimir