Cidadeverde.com
Geral

Vídeo mostra momento em que estudante é baleado; atirador fica de "tocaia"

Imprimir

Atualizada às 10h38

Vídeo de câmera de segurança instalada na rua Paissandú, no Centro de Teresina, mostra o momento em que o estudante Gabriel Brenno Nogueira, 21 anos, é baleado. As imagens mostram o atirador ficando de “tocaia” próximo à pensão onde o jovem estava hospedado. 

Por volta das 6h53min o homem, que aparece vestido com uma camisa branca, calça jeans e boné vermelho, sai da rua Quintino Bocaíuva e fica aguardando o estudante Gabriel Brenno sair da pensão e ir assistir aula em um curso que fica ao lado. 

Às 7h, o atirador aproveita a ocasião em que um jovem atravessa a rua e vai para frente da pensão. No momento em que o estudante abre o portão da pensão, o homem dá um tiro à queima-roupa nele e em seguida foge correndo. O disparo atingiu a cabeça de Gabriel Brenno. 

O jovem chegou a ser socorrido, mas morreu nesta terça-feira (23) após ficar seis dias internado em estado gravíssimo no Hospital de Urgência de Teresina. 

Foto: Reprodução/Facebook

Gabriel morreu nesta terça-feira no HUT

O inquérito policial foi concluído nessa segunda-feira (22)  e o suspeito foi indiciado por homicídio qualificado. O delegado titular do caso, Sérgio Alencar, confirmou que o crime foi passional e premeditado.

“Ele chegou cerca de 20 minutos antes do momento em que a vítima costumava  sair da pensão. Quando quer se vingar, se planeja. Ele esperou a vítima sair , atirou pelas costas e ,em seguida, fugiu. Antes disso, ele já tinha colhido informações sobre a rotina do Gabriel, feito rondas próximo à pensão onde a vítima se hospedava”, disse o delegado.

O delegado Sérgio conta, ainda, que o jovem estava sendo ameaçado. 

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

O carro utilizado pelo suspeito foi entregue por advogados em uma locadora um dia após o crime. O delegado não quis comentar quem seria o comparsa do suspeito, que teria dado fuga a ele em um carro Ônix. Imagens registraram o momento. 

Até às 9h45 de hoje o mandado de prisão preventiva ainda não havia sido expedido pela Justiça. 

 O Cidadeverde.com apurou que uma semana antes do crime, o atirador tentou se hospedar na pensão. Ele fingiu que era natural de Picos, trabalhava no setor de radiologia e tinha que se hospedar próximo ao polo de saúde de Teresina.  No entanto, a hospedagem foi negada porque a pensão não hospeda pessoas desconhecidas. 

A Polícia Civil está monitorando o suspeito e garante que, assim que o mandado de prisão for expedido, ele será preso. O nome dele ainda não divulgado. 

 

Izabella Pimentel e Graciane Sousa
[email protected] 

Imprimir