Cidadeverde.com
Geral

IML retira bala da cabeça do estudante morto para ajudar na investigação

Imprimir

 

Familiares emocionados no IML/foto: reprodução TV Cidade Verde

Equipes do Instituto Médico Legal (IML) de Teresina realizaram o procedimento de retirada da bala alojada na cabeça do estudante Gabriel Breno Nogueira da Silva Oliveira, 21 anos, que morreu na manhã desta terça-feira (23), após seis dias internado no Hospital de Urgência de Teresina (HUT). 

A extração da bala é necessária para ajudar na identificação da arma usada pelo criminoso. A Polícia não sabe se é ponto 40, de uso restrito da polícia, ou outro calibre. A arma do crime não foi localizada pela polícia. 

Na tarde de hoje, a mãe, o pai, irmãos e amigos de Gabriel Breno compareceram ao IML para aguardar a liberação do corpo do estudante, o que ocorreu por volta das 15h30. 

Gabriel será velado na cidade de Caxias, Maranhão, no Centro Paroquial da Igreja Nossa Senhora de Nazaré,  bairro Trizidela. O sepultamento está marcado para a quarta-feira (24), pela manhã, no Cemitério São José, em Caxias.

Júlia Doudemet, amiga de Gabriel, confirmou que o estudante só descobriu que a mulher com a qual estava flertando era casada quando passou a receber ameaças, via celular, do marido dela. Segundo a amiga, Gabriel chegou a comentar com duas pessoas sobre essas ameaças. 

A dona da pensão onde Gabriel morava também contou ao Cidadeverde.com que ele comentou sobre as ameaças com amigos do local. Ela disse que, nos últimos dias, o estudante andava muito calado e evitando sair até do quarto.

Foto: Reprodução

"Até para arrumar o quarto, a moça tinha que arrumar com ele dentro. Ele não saía do quarto, ficava na cama", destacou a dona da pensão, que não quis se identificar.

Ela ressaltou ainda que ele era muito calmo e que seu roteiro era do curso para academia e para a pensão. Ele estava há seis meses  morando na pensão. A proprietária também lembrou que ultimamente ele andava triste.

Ao Cidadeverde.com, ela reafirmou que o suspeito chegou a tentar alugar um quarto se passando por técnico de aparelho de radiologia de clinicas.

"Como ele (o suspeito) sabia que Gabriel fazia muay thai, ele tentou fazer o curso na mesma academia".

A dona da pensão - que pediu para não ser identificada - disse que Gabriel sonhava em ser oficial do Exército e passava de 40 dias sem ir para a cidade dos pais.  

Leia mais sobre o caso

Pai do estudante morto com tiro pede prisão do assassino e diz: é "muita dor"

Vídeo mostra momento em que estudante é baleado; atirador fica de "tocaia"

Após seis dias internado, morre no HUT estudante baleado na cabeça

Estudante de cursinho é alvejado com tiro na nuca no Centro de Teresina

 

Flash de Yala Sena
redacao@cidadeverde.com

Imprimir