Cidadeverde.com
Viver Bem

Atenção: veja os alimentos que devem ser evitados à noite

Imprimir

Foto: Pixabay/ fotos gratis


É mais fácil acertar o que comer durante o dia. Isso porque, por mais calórico que o alimento seja e a digestão seja demorada, haverá muitas horas em seguida para queimar ou digerir. Mas à noite...

Antes de dormir, deve-se ter atenção ao que consumir porque você passará as próximas horas inativo e com o metabolismo mais lento. Eis cinco alimentos para evitar no jantar:

Carne vermelha

A carne vermelha não é uma boa opção antes de ir dormir, porque é rica em proteínas e gorduras que irão manter o corpo trabalhando durante toda a noite. A velocidade da digestão à noite diminui cerca de 50%.  Então, se comer uma grande quantidade de proteína, vai digeri-la ainda mais lentamente.

Carboidratos refinados

Arroz, macarrão, pizza, biscoito, pão branco... Caso a pessoa esteja comendo um lanchinho com teor elevado de açúcar e baixo teor de fibras, que é o caso desses alimentos, será responsável por estragos com o seu açúcar no sangue. Além disso, é provável que acorde faminto no dia seguinte, devido à produção excessiva de insulina e aumento de açúcar na corrente sanguínea.

Bebidas alcoólicas

Provavelmente, à noite seja o único horário para "tomar um copinho". Mas, a verdade é que não é bom tomar bebidas alcoólicas antes de dormir. Elas causam desidratação, prejudicam a absorção de nutrientes importantes e reduzem ainda mais a produção de colágeno. A pele é um dos órgãos mais prejudicados

Bolos e doces

São alimentos hiperglicêmicos, que estimulam a liberação da insulina. Ela inibe a produção do GH, conhecido como o hormônio do crescimento, que tem seu pico durante o sono profundo. Ele é muito importante para a manutenção da massa magra e para a saúde da pele.

Embutidos, industrializados e congelados

Além de muito calóricos, esses são alimentos que contém muito sódio. Apesar de serem prejudiciais se consumidos durante todo o dia, o consumo à noite é especialmente pior. Isso porque neste período ingerimos menos água e, portanto, a diluição do sódio é menor. O excesso de sódio aumenta o risco de hipertensão, acidentes vasculares cerebrais, catarata, pedra nos rins e câncer de estômago.

 

Fonte: estadão conteúdo

Imprimir