Cidadeverde.com
Geral

Corpo de idosa é trocado após ser liberado de UPA em Teresina

Imprimir

Ampliada às 18h08.

Uma família de Teresina viveu o drama de ter o corpo de um ente querido trocado após falecimento. O caso aconteceu nesta quarta-feira (21). O corpo da idosa Júlia Maria de Carvalho Sousa, 100 anos, foi trocado após ser liberado da UPA do bairro Satélite, na zona Leste.

Os familiares perceberam o erro momentos antes do velório. “Uma funcionária da funerária pediu que a gente fosse conferir o corpo, para a nossa surpresa estava lá um corpo de uma pessoa que a gente desconhecia. A partir daí criou-se uma certa angústia, um tumulto”, explica Sérgio Carvalho, neto da idosa.

Segundo os familiares, a administração da unidade de saúde de isentou da responsabilidade. Para eles, a falha foi do hospital que repassou o corpo a funerária sem o reconhecimento da família. 

O neto da idosa falecida teme que a falha ocorra com outras pessoas que correm o risco de velar corpos que não são de seus familiares. 

“Se a gente parar pensar é algo macabro. Imagina você estar velando o corpo de uma outra família. Se esse corpo tivesse ido direto do hospital para uma viagem. Vamos supor que a minha avó tivesse falecido de uma doença que teria que lacrar o caixão. Quantos casos não aconteceram e as pessoas não tiveram a oportunidade de denunciar”, alerta Sérgio. 

No final da manhã de hoje o corpo da idosa foi sepultado no Cemitério São Judas Tadeu, no bairro São Cristóvão, em Teresina.

Em julho, um caso parecido ocorreu no município vizinho de Timon (MA), quando um corpo foi trocado durante o velório.

Em nota, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) informou que vai investigar o caso para adoção de medidas cabíveis. A funerária também emitiu uma nota informando que o procedimento de liberação foi realizado pelos profissionais da UPA sem a presença dos familiares para o reconhecimento legal.

No final da tarde desta quinta-feira (22) a FMS enviou uma nova nota lamentando o ocorrido e  informando que a idosa se encontrava no Hospital do Satélite e que o corpo levado pela funerária por engano estava no necrotério da UPA do Satélite. 

“A funerária ignorou a identificação do hospital constante da placa, deixando de proceder à devida verificação da identidade, ou seja, à conferência do nome do corpo ao Atestado de Óbito que a funerária tinha em mãos”, informou.

 

NOTA FMS

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) esclarece que o caso será investigado para adoção das providências cabíveis. Especificamente nesse dia, o funcionário que entregou o corpo era do quadro de empresa terceirizada. Se constatado erro por parte dele, ele será afastado da Unidade.

Nota de esclarecimento

Acerca da troca de corpos no necrotério da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Satélite, na última quarta-feira (21), a Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina – PI esclarece o que segue:

1. O corpo da senhora de iniciais J. M. C.S. se encontrava no Hospital do Satélite, local no qual ela havia recebido atendimento e tinha ficado internada, todavia a funerária Pax União foi buscar o corpo na sala de necrotério da UPA do Satélite e não no hospital.

2. Na mesma data e horário, na sala de necrotério da UPA, havia outro corpo, também de uma senhora idosa, que possuía placa de identificação com o nome M. F. G. N.. A funerária ignorou a identificação do hospital constante da placa, deixando de proceder à devida verificação da identidade, ou seja, à conferência do nome do corpo ao Atestado de Óbito que a funerária tinha em mãos. A família, que estava presente, também não olhou a placa de identificação. Por sua vez, o profissional terceirizado da UPA, presente no local, não possuía o Atestado de Óbito para conferência, já que este documento ainda seria emitido após realização de exame cadavérico no Hospital Getúlio Vargas.

3.O caso foi solucionado de imediato, quando a funerária, ao perceber a troca, direcionou o corpo ao local adequado.  A Fundação lamenta profundamente o ocorrido e coloca-se à disposição para prestar quaisquer esclarecimentos.

NOTA FUNERÁRIA

Sobre o fato ocorrido envolvendo a UPA do bairro Satélite, Zona Leste, a Pax União informa que prestou atendimento prévio à família, que aguardou nas dependências da funerária pela remoção do corpo do necrotério da UPA do Satélite. Todo o procedimento de liberação foi realizado pelos profissionais da referida unidade de saúde, sem a presença dos familiares para reconhecimento legal e foi reconhecido pelos familiares antes do procedimento de preparação, medida de segurança adotada em todos os atendimentos. O corpo foi reencaminhado para a UPA do Satélite para que fossem tomadas as providências de reparação pela unidade de saúde. A Pax União reitera o compromisso com o bem estar dos seus clientes.

Valmir Macêdo
valmirmacedo@cidadeverde.com

Imprimir