Cidadeverde.com
Geral

Alunos de escola estadual deixam salas por causa do calor

Imprimir

Foto: Google Maps

Os alunos do Centro de Tempo Integral Helvídio Nunes, no bairro Marquês, zona Norte de Teresina, voltaram às aulas com a esperança de encontrarem um clima mais ameno, nos meses em que as altas temperaturas tomam de conta da cidade. Aparelhos de ar condicionado foram instalados nas seis turmas, mas até o momento não foram ligados. Nesta quinta, eles não suportaram o calor, saíram das salas e ficaram no pátio. 

A escola de Ensino Médio funciona em tempo integral das 7h às16h, possui cerca de 200 alunos, e alguns reclamam que a partir das 13h as salas ficam muito quentes, que não têm janelas e os ventiladores não dão conta.  

Eles contaram ao Cidadeverde.com que essa ligação deveria ocorrer até o último dia 21, no entanto, até o momento não aconteceu e que ao reclamarem com a direção, pelo menos três deles foram suspensos. 

“Ontem à tarde a gente não conseguiu assistir aula e uns alunos começaram a dizer para gente fazer manifestação, só voltar para as salas quando ligassem. E três foram suspensos por dois dias (hoje e segunda), eles são do segundo ano”, conta um dos alunos que não quis se identificar.  

Cada sala tem dois aparelhos de ar. É a primeira vez que a escola recebe as máquinas, mas o projeto de climatização estava previsto desde 2013. “Tem dois aparelhos e nenhum funciona, só os da Coordenação”, frisa o estudante. 

O Cidadeverde.com entrou em contato com a assessoria da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), que informou que a conclusão da climatização depende da empresa de energia fazer a instalação elétrica na escola. A Secreta afirma que já fez diversos contatos com Equatorial Energia e que a concessionária argumenta que é preciso fazer um desligamento programado na região, afetando os moradores por isso precisa seguir um protocolo. 

Sobre a suspensão dos estudantes, a nota destaca que a punição não foi pela reclamação, mas porque eles estavam “atrapalhando o andamento das aulas”. 

A Equatorial Piauí disse em nota que já fez o condicionamento do transformador e que a próxima etapa do trabalho é a interligação do mesmo à rede da concessionária.

"O que demanda um trabalho complexo, inclusive com o desligamento de consumidores no entorno do colégio, além de um considerável número de equipes técnicas. No momento a Equatorial Piauí trabalha para apresentar um novo prazo para a execução do serviço, com um mínimo de impacto aos consumidores e respeitando as normas regulatórias da ANEEL", disse a empresa.

A Seduc também se manifestou através de nota. Confira:

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) informa que a conclusão da climatização do Centro Estadual de Tempo Integral (Ceti) Helvídio Nunes está dependendo da concessionária Equatorial Energia. A Seduc informa, também, que entrou em contato com a concessionária diversas vezes e esta explica que, tendo em vista a proximidade da escola com a subestação do Marquês, é necessário um desligamento programado. Como afetará todo o bairro, a empresa precisa seguir um protocolo no qual ela deve comunicar à sociedade a interrupção temporária do fornecimento de energia. 

Sobre a suspensão dos estudantes, a escola informou que a punição não se deu por reclamação de calor, mas porque os alunos estavam atrapalhando o andamento das aulas no Ceti.


Caroline Oliveira
[email protected]

Imprimir