Cidadeverde.com
Esporte

Internacional protege Sarrafiore após erro em gol do Flamengo na Libertadores

Imprimir

Segundo tempo, Inter atrás de mais um gol para levar a decisão de vaga na fase semifinal da Libertadores para os pênaltis. Odair Hellmann havia acabado de sacar um zagueiro e colocar um meia, Sarrafiore.

E foi nos pés da promessa argentina que a bola se ofereceu após escanteio. Em vez de colocar rapidamente na área, ele tentou o drible, perdeu a bola, e do contra-ataque nasceu o gol de empate do Flamengo, que acabou de vez com as chances do Inter na última quarta-feira (28).

O lance decretou a eliminação e pesou para o jovem de 22 anos. Sarrafiore, contratado como grande aposta para o futuro, encara um momento de oscilação, seja nas chances entre os titulares, ou nas partidas pelos reservas. Mas o técnico Odair Hellmann tratou de proteger seu comandado.

"O Sarrafiore é um jovem, um excelente jogador. Nem vou visualizar isso. É uma jogada de escanteio, onde temos um lance decisivo de bola parada, ela dá rebote para nós, temos dois caras por trás, Edenilson e Bruno, e o Edenilson faz o passe para abrir a chance de cruzamento.

Ficamos com um por trás. Qual é o movimento? De buscar o segundo gol. Ali era 40 do segundo tempo", disse o técnico Odair Hellmann.

O comandante se negou a individualizar qualquer situação. Disse que a falha de Sarrafiore foi justificada na tentativa de deixar o time mais próximo do gol que poderia levar a decisão para os pênaltis.

"Jogamos organizadamente, dentro de uma ideia. Ali era para tentar fazer algo diferente, tentar o gol. Naquela altura, o jogador sai da função, faz um movimento diferente, era uma situação de buscar o gol. 

É claro que todos estamos tristes, mas não gosto de individualizar a derrota, jamais faria isso. Quem errou foram todos, de ter tomado dois gols no Maracanã, e todos de termos tomado o gol de empate hoje. Não há um que perde aqui, todos perdem juntos. Como é quando vencemos, também, juntos", completou o treinador.

Sarrafiore enfrenta um momento de oscilação. Entre atuações irregulares com reservas e algumas chances com os titulares, o gringo passa pelo processo de entrada na equipe aos poucos e vive a primeira temporada em um time principal, já que tinha jogado apenas pela base do Huracán até o ano passado. Mas, nos bastidores, a crença sobre seu futebol segue intacta.

Com status de "sucessor de D'Alessandro", o menino é considerado promessa a ser lapidada para o futuro do clube. A oportunidade de redenção pode surgir contra o Botafogo, no sábado (31), pelo Brasileiro. 

De olho no jogo de volta da fase semifinal da Copa do Brasil, o Internacional deve utilizar reservas no duelo das 21h (horário de Brasília), no estádio Beira-Rio.

MARINHO SALDANHA
PORTO ALEGRE, RS (UOL/FOLHAPRESS)

Imprimir