Cidadeverde.com
Geral

Decisão da Justiça devolve redes sociais hackeadas de político no Piauí

Imprimir

Foto: Divulgação GPE/ PCPI

 

A Justiça do Piauí  determinou a devolução dos perfis do Instagram, Facebook e contas de e-mail a uma pessoa que foi vítima de "piratas da internet". O delegado Matheus Zanatta, da Gerência de Polícia Especializada (GPE) da Polícia Civil do Piauí, conta que as redes sociais hackeadas são de um político no Piauí que clicou em um link desconhecido. 

"O caso aconteceu em agosto. A vítima não conseguia recuperar as contas porque o email de recuperação também foi invadido.  Representamos e a Justiça devolveu as contas em uma decisão inédita no país.   O hacker fez isso com o objetivo de mostrar poder, que conseguia invadir. É o que chamamos de vandalismo virtual", disse Zanatta. 

Print do perfil do político hackeado (imagem acima) mostra a imagem de uma mulher, nome e a descrição "lifestyle| fashion| blogger|". Em outro print, o hacker deixa a assinatura. De acordo com o GPE há indícios que o hacker seja da Turquia. 

Foto: Divulgação GPE/ PCPI

"No caso dessa vítima específica, o hacker assinou a rede social da vítima. Colocaram o nome deles. É uma espécie de vandalismo virtual para mostrar que foram capazes de invadir aquela rede social. É como se fosse um pichador que faz questão de deixar sua assinatura", disse Zanatta.

Ele acrescenta que a decisão é inédita no país e foi proferida pelo Luís Henrique Moreira Rego, da Central de Inquéritos da Comarca de Teresina. 

Foto: Graciane Sousa/ Cidadeverde.com

Delegado Matheus Zanatta

Foram expedidos três mandados judiciais distintos: um para o sítio Facebook,  outro para o Instagram e um terceiro para a empresa microsoft, responsável pelos e-mail de recuperação dessas redes sociais citadas. 

“Nós instauramos inquérito após uma vítima procurar a gerência e narrar que teve suas contas do Instagram, Facebook e os e-mails de recuperação das aplicações de internet  hackeados. A partir de então, pode-se pleitear que as contas da pessoa fossem reestabelecidas, nesses dispositivos,  e o acesso devolvido ao titular. Com a decisão judicial foi feita a recuperação da conta de usuário de cada uma delas, acompanhada  do e-mail vinculado”, explica o delegado.

A ação de recuperação teve apoio da Secretaria de Operações Integradas através do Laboratório de Operações Cibernéticas (Coordenação Geral de Combate ao Crime Organizado/Diretoria de Operações) do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

“Nos últimos meses houve um aumento considerável do hackeamento de contas de usuários do Instagram e das contas de email vinculadas ao serviço. Dentre os mais diversos propósitos, os criminosos utilizam essas contas hackeadas para promover sites adultos e atrair vítimas com spam pornográfico”, alerta Zanatta acrescentando que os usuários não devem clicar em links desconhecidos.

"A orientação é não clicar em link desconhecido que chegue por email ou mensagem, fazer a verificação em duas etapas, trocar a senha com frequência, usar senhas difíceis e diferentes pro Instagram, Facebook e email e não acessar links que vêm pelo aplicativo para entrar em outro aplicativo" , orienta Matheus Zanatta. 

 

Flash Yala Sena e Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir