Cidadeverde.com
Esporte

Três seleções e calendário da CBF desfalcam 11 clubes do Brasil

Imprimir

A CBF anunciou nesta sexta-feira (20) a lista de convocados de três seleções: principal, sub-23 e sub-17. As três equipes desfalcarão clubes durante o Campeonato Brasileiro por até dez rodadas.

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Foram chamados 69 atletas pela confederação e 17 estarão ausentes em partidas de 11 clubes das Série A e B.

A seleção principal disputará dois amistosos, contra Senegal e Nigéria, 10 e 13, respectivamente, em Singapura, na Ásia. Para esses jogos, 7 atletas que atuam em 5 clubes brasileiros foram convocados. Serão desfalques por ao menos duas rodadas, possivelmente três pela distância da viagem.

As equipes sub-23, formada para disputar os Jogos de Tóquio-2020, e a sub-17, que competirá no Mundial da categoria, realizado entre outubro e novembro, no Brasil, também desfalcará as equipes nacionais em duas rodadas do Brasileiro. O time olímpico, tem nove jogadores de clubes da Série A e um da Série B.

Já o time sub-17 tem três nomes que já estão nos elencos principais de seus clubes: Talles Magno, do Vasco, Reinier, do Flamengo, e Kaio Jorge, do Santos. Talles e Reinier vêm tendo presença constante na equipe profissional de seus clubes. Já Kaio está no elenco santista e disputou cinco partidas na temporada pelo clube.

Os jogadores terão que se apresentar no dia 7 de outubro. Caso a seleção chegue na decisão (17 de novembro), o meia flamenguista ficaria fora de 12 jogos, inclusive a volta da semifinal da Libertadores contra o Grêmio; o santista e o vascaíno seriam baixa em 10 partidas.

O levantamento considerou os duelos realizados entre um dia antes do primeiro jogo de cada seleção e um dia depois do último confronto. A ausência pode ser maior em razão de viagens ou períodos de descanso.

A CBF não cogita liberar nenhum atleta das três equipes, caso haja pedido dos clubes. O calendário da confederação não prevê pausa para os torneios nacionais durante as datas Fifa, quando seleções disputam amistosos ou torneios eliminatórios. Ligas da Europa não têm rodadas durante esse período de jogos das equipes nacionais.

"Jogar Mundial é um prêmio ao atleta, um prêmio ao clube que criou e formou esse atleta, é o maior prêmio que ele pode ter na vida. Não me passa na cabeça um pedido de qualquer clube para desconvocar um jogador", disse o ex-jogador Branco, coordenador das seleções de base da CBF.

"Temos que entender que precisamos ter os melhores jogadores na Copa do Mundo. Sobre o Talles e o Reinier, entendemos a importância deles na seleção. Pela primeira vez, teremos uma Copa no Brasil", acrescentou o técnico da equipe, Guilherme Dalla Déa.

O Mundial vai de 26 de outubro a 17 de novembro e será disputado em Gama, Goiânia e Cariacica, no Espírito Santo.

Questionado sobre o fato de a seleção desfalcar as equipes, Tite descartou qualquer revisão na lista ou possibilidade de não chamar jogadores que atuam no Brasil.

"O presidente do Flamengo [Rodolfo Landim] conhece o trabalho. Ele nos acompanhou [como chefe de delegação na Copa América] e sabe como temos cuidado e critério. 

Dito isso, para conciliar todos os fatores, por vezes, esse ganha-ganha não dá. Vão chegar as eliminatórias, e, para formar essa equipe final da Copa América [de 2020], você tem que dar oportunidade", afirmou Tite.

Flamengo e Grêmio foram os times com mais jogadores nas lista da equipe principal, com dois nomes cada um: Gabigol e Rodrigo Caio, do time carioca, e Matheus Henrique e Everton, do clube gaúcho. Weverton, do Palmeiras, Daniel Alves, do São Paulo, e Santos, do Athletico-PR, também foram chamados pelo técnico.

"Estou tendo bom senso, mas existem fatores de calendário, que não é da CBF, é dos clubes também. Tive dois títulos, 2011 e 2015 [com o Corinthians, no Brasileiro], e também sofri. Sei dimensionar isso, mas sabia também que poderia fazer grupo forte para chegar", acrescentou o técnico Tite.

O técnico da seleção olímpica, André Jardine, pediu a compreensão dos clubes e também descartou liberar jogadores.

"Queremos colocar a seleção de novo na Olimpíada, e é momento de todo o mundo se conscientizar também da importância disso que estamos vivendo, dos períodos pequenos que temos de preparação. É ter a compreensão de todos, pois a nossa vitória é a vitória do futebol brasileiro", afirmou.?

O calendário da temporada de 2019 do futebol brasileiro foi divulgado pela CBF no começo de outubro do ano passado, já com os conflitos entre clubes e seleção.

A CBF afirma que seu presidente, Rogério Caboclo, ja anunciou que a parir de 2020 o calendário da entidade não terá partidas em datas Fifa.

DIEGO GARCIA
RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) 

Imprimir