Cidadeverde.com
Últimas

Após problema com energia, campanha contra o sarampo começa nesta terça

Imprimir

A Campanha Nacional Contra o Sarampo começa hoje em todo o país, inclusive no Piauí. No entanto, alguns postos de vacinação em Teresina estão sem a vacina por causa dos transtornos provocados pela chuva na última sexta-feira (04), que gerou interrupção no fornecimento de energia elétrica em diversos bairros.

Os postos que não tiveram problemas com a energia estão vacinando normalmente. A Fundação Municipal de Saúde recomenda que as pessoas busquem pela vacina a partir de terça (08), quando o reabastecimento for regularizado.

O infectologista da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Kelsen Eulário, afirmou que muitos postos de saúde ficaram sem energia e, por isso, as vacinas dessas unidades foram recolhidas para local com refrigeração apropriada.

"Os postos tiveram queda de energia e as vacinas precisam ser mantidas em temperatura adequada, de quatro a oito graus.  Então, por conta disso, para manter a qualidade e a eficácia das vacinas, elas foram coletadas de vários postos com problemas de energia e foram (encaminhadas) para a Rede de Frios", disse.

Kelsen Eulário ressaltou que todo o material recolhido está retornando aos postos de saúde de origem nesta segunda (07) no turno da manhã e da tarde. Por isso, pede que a população busque com maior intensidade a dose a partir de terça (08), quando a distribuição será regularizada.  

"Nós recomendamos que as pessoas evitem ir hoje (aos postos) porque o momento em que elas forem pode ser que as vacinas não tenham chegado naquele local. Amanhã, os postos já estarão com as vacinas", reforçou.

Dados

O Ministério da Saúde divulgado até o dia 28 de agosto, o Brasil registrou 5.404 casos confirmados de sarampo e seis mortes. 

A Secretaria Estadual de Saúde divulgou que quatro são os casos confirmados de sarampo no Piauí. Outras pessoas também estão sendo monitoradas pela Sesapi. As cidades que apresentaram casos de suspeitos de sarampo foram: Parnaíba, Picos, Luís Correia, Teresina, Campo Grande, Floriano e Demerval Lobão.

Na oportunidade, o infectologista ressaltou a importância da vacina para se combater as doenças, como o Sarampo, que já era erradicado no Brasil e o vírus voltou a circular no território brasileiro gerando surto por causa da baixa cobertura vacinal. A população não pode deixar de se vacinar por causa de notícias falsas em relação a sua eficácia para a saúde humana.

"A vacina é extremamente eficaz e segura. Riscos de complicação sempre existem, mas, geralmente, as que  são observadas em 5 a 10% das vezes são leves, geralmente reações locais com febre, dor e vermelhidão na área de aplicação. Reações graves, por exemplo, podem ocorrer com qualquer vacina, mas são extremamente raras. O risco de uma reação com a vacina é infidamente inferior do que o risco de complicação com a doença natural".


Público-alvo da vacina

Dois grupos de pessoas estão no alvo da nova campanha. O primeiro grupo é formado por crianças de seis meses até menores de 5 anos, cuja a vacinação vai desta segunda-feira até 25 de outubro, com o Dia D no dia 19.
O segundo grupo, com faixa etária de 20 a 29 anos e que não estão com a caderneta de imunização em dia, a vacinação está prevista para iniciar no dia 18 de novembro. 

A meta do Ministério da Saúde é vacinar 2,6 milhões de crianças na faixa prioritária e 13,6 milhões adultos. Para isso, a pasta garantiu a maior compra de vacinas contra o sarampo dos últimos 10 anos. Ao todo, 60,2 milhões de doses da tríplice viral foram adquiridas para garantir o combate à doença nos municípios.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
 

A doença 

O Ministério da Saúde informa que a transmissão do vírus da doença ocorre de pessoa a pessoa, por via aérea, ao tossir, espirrar, falar ou respirar. O sarampo é tão contagioso que uma pessoa infectada pode transmitir para 90% das pessoas próximas que não estejam imunes.

"A transmissão pode ocorrer entre 4 dias antes e 4 dias após o aparecimento das manchas vermelhas pelo corpo. O sarampo é uma doença grave que pode deixar sequelas por toda a vida ou causar o óbito. A vacina é a única maneira de evitar que isso aconteça. Não existe tratamento específico para o sarampo. Os medicamentos são utilizados para reduzir o desconforto ocasionado pelos sintomas da doença".

O Ministério da Saúde também alerta que as pessoas não façam uso de nenhum medicamento sem orientação médica e que procure o serviço de saúde mais próximo, caso apresente os sintomas descritos acima. 

Esclarecimento FMS

Em decorrência da forte chuva ocorrida na última sexta-feira (04), que resultou em falta de energia elétrica em vários bairros de Teresina, a Diretoria de Vigilância em Saúde da Fundação Municipal de Saúde (FMS) esclarece que, para que não houvesse perda de vacinas, tomou a correta atitude de rapidamente recolhê-las das salas de vacinação das Unidades Básicas de Saúde e acondicioná-las na Rede de Frio.

Em razão disso, nesse momento, as salas de vacinação estão sendo reabastecidas.

A recomendação da FMS é de que a população comece a buscar os postos a partir de terça-feira (08) para imunização contra o sarampo, por ocasião da Campanha Nacional de Vacinação contra Sarampo.
 



Carlienne Carpaso (com informações do Ministério da Saúde e TV Cidade Verde)
carliene@cidadeverde.com

Imprimir