Cidadeverde.com
Viver Bem

Diagnóstico precoce é arma contra o câncer de próstata

Imprimir

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Todos os anos, especialistas chamam a atenção para o Novembro Azul e a necessidade de combater o câncer de próstata. Mesmo assim, 42 homens morrem em decorrência do câncer de próstata todos os dias. Aproximadamente 3 milhões vivem com a doença. No Brasil, é a segunda maior causa de morto por câncer, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA).

Apesar dos avanços no tratamento, 25% dos pacientes com câncer de próstata morrem devido à doença. E a grande parte desses óbitos está relacionada ao diagnóstico tardio, já que 20% dos pacientes descobrem que possuem a doença em estágio avançado.

Além do câncer de próstata, outras doenças podem ser identificadas e combatias com a ajuda de um simples exame, como a prostatite, que é a inflamação da glândula. Por conta disso, a informação é muito importante, esclarecendo dúvidas sobre a doença.

Mitos e verdades

É mito que o câncer de próstata é uma doença de idosos. Os riscos aumentam significativamente após os 50 anos, mas 40% dos casos estão abaixo dessa faixa etária. O fator hereditário conta. Portanto, quem tem o registro de casos na família, deve procurar o médico por volta dos 40 anos.

Aliás, é mito que todos os casos de câncer de próstata apresentam sintomas. Pelo contrário, em estágio inicial, quando há 90% de chance de cura, não há sinais. Na maioria das vezes os sintomas relacionados à doença estão no crescimento da glândula, jato urinário mais fraco e sensação de esvaziamento incompleto da bexiga, entre outros.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir