Cidadeverde.com
Política

Câmara de Teresina deve votar lei que proíbe nome de torturadores em prédios públicos

Imprimir

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

A Câmara Municipal de Teresina deverá analisar um projeto de lei que aplica, em Teresina, a lei que proíbe o uso do nome de torturadores em prédios públicos. A medida já foi aprovada a nível estadual. O deputado Franzé Silva (PT) e o vereador Jeová Alencar se reuniram nesta quarta-feira (20) para tratar sobre o assunto no legislativo municipal.

O presidente da Câmara defende a lei estadual e garantiu que irá sugerir a criação de uma lei no município ainda este ano. "Não é esquecer a história, mas nós não podemos cultuar quem faz parte da história sangrenta da democracia. Claro, que para isso iremos colocar o tema para os nossos pares", disse Jeová Alencar. 

Duas escolas estaduais nomeadas com o nome do presidente Homero Castelo Branco passarão por plebiscito para ganharem novos nomes, escolhidos pela comunidade. 

Um dos alvos da medida em Teresina seria a Avenida Marechal Castelo Branco, endereço da Câmara de Vereadores. Questionado sobre a possibilidade de alteração no nome da avenida, Jeová demonstra apoio. Um dos nomes sugeridos é o da negra piauiense Esperança Garcia, considerada pela OAB como a primeira advogada do Brasil. 

"Sou a favor. O nome dela (Esperança) e de tantos outros piauienses que prestaram grandes serviços a comunidade. E não só na Marechal mas em outros prédios públicos do município ", afirmou

 

Valmir Macedo
[email protected]

Imprimir