Cidadeverde.com
Geral

Vítimas de feminicídio não denunciaram à Justiça, afirma desembargador

Imprimir

O desembargador do Tribunal de Justiça, José Gomes, afirmou que todas as mulheres que morreram vítimas de feminicídio no Piauí não denunciaram violência prévia ao assassinato. Em entrevista à TV Cidade Verde nesta segunda-feira (25), o magistrado falou sobre a semana Justiça pela Paz em Casa, que pretende realizar 475 audiências em todo o estado com uma equipe de mais de 21 juízas. 

“Todas as que morreram nunca vieram a juízo denunciar e nem a polícia. Daí o objetivo desta semana é de conscientização também. Não é só sobre o processo da distribuição de justiça, mas sobretudo, e sobremodo, a prevenção, a orientação para que essas mulheres venham denunciar porque a medida em que elas denunciam, elas não morrem”, disse o desembargador.

A emana Justiça pela Paz em Casa ocorre três vezes ao ano, nos meses de março, agosto e novembro. O objetivo é reduzir os processos de violência domésticas que vãos e acumulando nas instâncias do judiciário. Apenas em Teresina, são mais de 9 mil processos em andamento. 

Na semana serão realizados processos de instruções e julgamentos. Em Teresina são 5 juízas na avaliação dos casos e 16 em comarcas do interior que contam com o apoio de órgãos como o Ministério Público e a Defensoria Pública, além da OAB.

“As (mulheres) que morreram foram as que deixaram de denunciar quando começaram os primeiros momentos da violência tanto física quanto psicológica”, reafirmou José Gomes.

Apenas 20 dos 224 municípios do interior possuem órgãos locais de enfrentamento à violência contra a mulher. Vítimas de violência podem buscar as delegacias especializadas ou denunciar usando o aplicativo Salve Maria. 

Valmir Macêdo
[email protected]

Imprimir