Cidadeverde.com
Geral

Droga avaliada em R$ 25 milhões é incinerada e presos podem fazer delação premiada

Imprimir
  • Untitled-1.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-2.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-4.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-5.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-6.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-7.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-8.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-9.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-10.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-11.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-12.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-13.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-14.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-16.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-17.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-18.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-19.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-20.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-21.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-22.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-23.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • Untitled-24.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com

A Polícia Civil do Piauí fez a incineração de mais de 1 tonelada de cocaína apreendida esta semana em Teresina e que serviria ao tráfico internacional de drogas. 

Em comboio, a cocaína foi trazida para uma cerâmica na zona Sul da cidade e destruída em fornos. A ação foi acompanhada por representantes da Justiça, Ministério Público, o secretário de Segurança Pública do Estado do Piauí Fábio Abreu, policiais civis da Depre, Greco e militares do Bope.   

"Nossa preocupação era a grande quantidade de drogas nas dependências de nossas unidades policiais. Imediatamente solicitamos a incineração. Essa grande operação mostra o esforço dos nossos policiais em 2019", disse Fábio Abreu. 

A operação foi a maior apreensão de entorpecentes no Piauí. A droga incinerada era avaliada em R$ 25 milhões. 

A investigação inicial foi realizada pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) e seguirá agora  com a Delegacia de Repressão a Entorpecente (Depre). 

O delegado Cadena Júnior, coordenador da Depre, pontua que os sete suspeitos continuam presos e alguns já deram indícios que podem fazer delação premiada.  

"Todas as prisões foram legais e convertidas em preventiva. Agora vamos ver se alguns dos suspeitos vão prestar delação premiada. De toda forma, as investigações continuam. O Piauí é rota do tráfico, mas está sendo interceptada. Aqui é rota porque é passagem para os portos de Fortaleza ou Bahia", disse o coordenador da Depre.

 

Flash de Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir