Cidadeverde.com
Geral

FMS registra quase 500 casos de catapora e alerta para permanência do surto em Teresina

Imprimir

Teresina ainda vive um surto da doença varicela, conhecida como catapora. A afirmação é da diretora de Vigilância em Saúde da Fundação Municipal, doutora Amariles Borba.  Até o momento, em relação ao ano de 2019, são quase 500 casos notificados da doença. O ano passado registrou três mortes e a FMS já investiga um óbito em 2020.

"Nós acreditamos que o surto de varicela continua. No ano passado, nós contabilizamos, mas não é um dado fechado, cerca de 449 casos; três óbitos, sendo dois do interior do estado e um de Teresina", disse a diretora em entrevista ao Jornal do Piauí, nesta segunda (06).

Na última sexta, dia 03, a FMS divulgou que investiga a morte de uma adolescente de 13 anos por complicações da catapora.  "Estamos em fase de analise de todas as possibilidades, recolhendo cópias dos exames para que seja feita uma análise com os médicos infectologistas. Com isso, poderemos afirmar. Nós acreditamos que foi uma complicação da Varicela. 

Borba ressalta que a doença é provocada por um vírus, "que circula por todo o nosso corpo, pode dá complicação em qualquer parte: pode atingir o cérebro, o músculo do coração, pneumonia, baixa de plaqueta provocando sangramento. Então, precisamos analisar cuidadosamente toda a história dessa jovem para afirmar o diagnóstico". 

A diretora aproveita para chamar a atenção das famílias para a importância da vacinação e da hidratação como mecanismos de prevenção. 

"Agora, eu queria aqui chamar a atenção das famílias: precisamos vacinar as crianças contra a varicela aos 15 meses de idade; e o reforço aos 4 anos, estudos têm demonstrado a necessidade de um reforço. Precisa-se que as pessoas tenham o cuidado importante da hidratação, tem que urinar transparente feito a água que bebe porque estando bem hidratado o seu corpo tem as condições necessárias para funcionar de maneira adequada. Quanto a pessoa está com a catapora, nao está querendo comer, está muito mole, está sentido dor: tem que procurar assistência médica ".

Sobre os dados de 2019, a diretora explica que a FMS está recebendo fichas de notificação e, por isso, os números não estão fechados.  "O ano terminou na semana passada; teremos um número exato daqui a mais ou menos uns 30 dias", acrescenta. 

O que é Catapora (Varicela)? 

A Catapora (varicela) é uma doença infecciosa, altamente contagiosa, mas geralmente benigna, causada pelo vírus Varicela-Zoster, que se manifesta com maior frequência em crianças e com incidência no fim do inverno e início da primavera.

Quais são os sintomas da Catapora (Varicela)?
Os sintomas da catapora, em geral, começam entre 10 e 21 dias após o contágio da doença. Os principais sinais e sintomas da doença são: manchas vermelhas e bolhas no corpo; mal estar; cansaço; dor de cabeça; perda de apetite; febre baixa.

Quais são as complicações da Catapora (Varicela): encefalite; pneumonia; infecções na pele e ouvido.

Como é feito o tratamento da Varicela (Catapora)? No tratamento da catapora, em geral, são utilizados analgésicos e antitérmicos para aliviar a dor de cabeça e baixar a febre, e anti-histamínicos (antialérgicos) para aliviar a coceira. Os cuidados de higiene são muito importantes e devem ser feitos apenas com água e sabão.

Como prevenir a Catapora (Varicela)?

As principais medidas de prevenção e controle da catapora (varicela) são:

Vacinação. Lavar as mãos após tocar nas lesões.
Isolamento: crianças com varicela não complicada só devem retornar à escola após todas as lesões terem evoluído para crostas. Crianças imunodeprimidas ou que apresentam curso clínico prolongado só deverão retornar às atividades após o término da erupção vesicular.
Pacientes internados: isolamento de contato e respiratório até a fase de crosta.
Desinfecção: concorrente dos objetos contaminados com secreções nasofaríngeas.
Imunoprofilaxia em surtos de ambiente hospitalar.

 

Fonte: Ministério da Saúde

 

Carlienne Carpaso
[email protected] 

Imprimir