Cidadeverde.com
Geral

Áudios de facções revelam ameaças a advogados e invasão de apartamentos em Teresina

Imprimir

A Secretaria de Segurança Pública do Piauí (SSP-PI) divulgou novos áudios de membros das facções criminosas PCC e Bonde dos 40 que atuam em Teresina. Nas gravações liberadas após autorização da Justiça, um faccionado conversa com a mulher de um preso e a questiona sobre ameaça a um “gravata”. Na gíria dos criminosos, “gravata” significa advogado.

“Diz que tava querendo a cabeça do gravata”, diz o homem a mulher. 

O delegado Cadena Júnior, coordenador da Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (Depre), afirma que há pelo menos três advogados do Piauí na “lista” de ameaça dos faccionados.

“Quem trabalha para esse tipo de organização criminosa é óbvio que vai existir cobrança e a cobrança não é amigável. É na base da ameaça, intimidação e da morte. Aqui no Piauí não há casos de morte. Há de ameaça. Essa não é a primeira nem será a última. Infelizmente quem lida com esse tipo de organização tem um risco a correr. Sei que o advogado é um profissional liberal [...] infelizmente essas facções fazem a intimidação desses profissionais", disse Cadena. 

Foto: Roberta Aline/ Cidadeverde.com

Segundo o delegado, escritórios de advocacia são pagos pelas facções e sofrem ameaças quando os criminosos entendem que os advogados não atuam da forma esperada.

Além da ameaça de morte a um “gravata”, no áudio há uma conversa em que um dos investigados fala em “setor de prédios” e queria mandar uns “irmãos” para lá. 

De acordo com as investigações, esse setor de prédios seriam apartamentos localizados nos conjuntos Torquato Neto e Orgulho do Piauí, ambos localizados  na zona Sul de Teresina. 

O delegado Cadena Júnior conta que os criminosos ameaçam moradores e se “apossam “ de apartamentos da região para se esconderem após crimes.

 Os áudios fazem parte do inquérito da operação Codinomes, deflagrada ontem (14) para prender suspeito de tráfico de drogas e envolvimento com as facções PCC e Bonde dos 40. Ao todo 26 pessoas foram presas e 5 estão foragidas.

 

Flash Izabella Pimentel
[email protected]

Imprimir