Cidadeverde.com
Geral

Drenagem na duplicação da BR-343 gera entraves entre prefeitura e Estado

Imprimir

Fotos: Roberta Aline

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (Semdhu) notificou o Departamento de Estadual Estradas e Rodagem (DER) e a construtora responsável pela duplicação da BR-343, pedindo explicações sobre a execução dos projetos de drenagem na obra. 

De acordo com o secretário da Semdhu, Marco Antônio Ayres, os responsáveis pela duplicação não estariam executando a obra levando em consideração a drenagem.

“A gente fica muito preocupado com aquelas obras de duplicação realizadas pelo governo do estado, porque os projetos de drenagem não estão sendo, por enquanto, executados como manda o figurino. Eles foram notificados porque o projeto está bem feito, acontece é que na execução, não estão observando o projeto de drenagem que foi supervisionado pela prefeitura de Teresina e foi projetado por hidrologistas competentes. A construtora e o governo do estado têm que seguir rigorosamente aquela linha d’água com as obras indicadas para tal fim, que senão vai dar problema novamente”, alerta o gestor municipal. 

O subdiretor do DER, Severo Eulálio, confirma a notificação recebida, mas ressalta que as obras de drenagem ainda não começaram. 

“O projeto de drenagem foi feito há 15 anos e precisamos readequar alguns bueiros. Não é que não obedecemos ao projeto, ainda nem começamos essa etapa da obra. Estamos revisando o projeto para atender a nova realidade que não existia antes com tantos condomínios de alto padrão, loteamentos e residenciais margeando a rodovia e as novas ruas que surgiram e tudo impermeabilizando impedindo a retenção da água”, explicou Severo Eulálio. 

Ele disse ainda que a Prefeitura já aprovou dois dos três pontos que pediram explicações, e somente um ainda está em avaliação. “São 17 pontos de bueiros e em três precisaram ser readequados. Tivemos uma reunião com o secretário Executivo da Semdhu, Vicente Moreira, que já me adiantou que o terceiro ponto também será aprovado, mas estamos aguardando a oficialização da conversa para começar os ajustes nos projetos e fazer os aditivos necessários à obra”, afirmou. 

O subdiretor do DER informou que apesar de a Prefeitura dar um prazo de 90 dias para essa adequação, o órgão deverá entregar planejamento, cronograma e orçamento em menos tempo. 

“Vamos deixar tudo pronto para no fim de abril e começo de maio começar a execução, já que no período chuvoso não tem como fazer este serviço. Nossa meta é entregar a obra concluída até o final do ano”, destacou. 

Severo Eulálio enfatiza que as medidas paliativas já surtiram efeito, como o bueiro colocado na BR-343 que até ano passado rompia com as chuvas e este ano, ainda não houve incidentes no local. 

A área mais afetada pelos alagamentos, segundo o DER, é a de relevo mais baixo, localizada logo após a rotatória em direção à Usina Santana. O Estado estaria aguardando o parecer da Prefeitura para iniciar as obras.

Sobre futuras interdições para construção de bueiros e outros equipamentos de drenagem, o DER garantiu que a duplicação ajudará na fluidez do trânsito ao dar a possibilidade de interditar apenas uma só pista.

A previsão de conclusão da obra é para o segundo semestre deste ano

As obras são influenciadas por lei municipal de 2015 que regulamentou a construção em relação às bacias hidrográficas da cidade. Na duplicação da BR-343, são quase 9 mil hectares de bacia, que abrange do Planalto Uruguai até as imediações da Colônia Agrícola Penal major César, em Altos.

 

Caroline Oliveira
[email protected]

Imprimir