Cidadeverde.com
Esporte

Bayer Leverkusen goleia fora e afunda Werder Bremen no Alemão

Imprimir

A primeira rodada do Campeonato Alemão após a paralisação causada pela pandemia foi encerrada nesta segunda-feira com goleada. Mesmo jogando fora de casa, o Bayer Leverkusen complicou ainda mais a situação do Werder Bremen ao vencer pelo placar de 4 a 1, no vazio Weserstadion.

Como aconteceu ao longo do fim de semana, com a retomada da primeira divisão do Alemão, o jogo foi marcado por comemorações de gols mais contidas em razão da ausência de público nas arquibancadas. No banco de reservas, jogadores usavam máscara e sentavam com certa distância entre si.

Com a bola rolando, o Bayer esbanjou superioridade ao longo dos 90 minutos. Kai Havertz foi um dos nomes da partida ao balançar as redes por duas vezes, ambas no primeiro tempo. Aos 28, ele abriu o placar ao aproveitar a assistência de Moussa Diaby.

O Werder mostrou certa resistência e empatou dois minutos depois, com Theodor Gebre Selassie. Mas os visitantes voltaram a liderar o marcador logo em seguida. Havertz novamente mandou para as redes, desta vez com passe de Kerem Demirbay.

No segundo tempo, o Bayer elevou o ritmo e praticamente não deu chances aos donos da casa. Aos 15, Diaby avançou até a linha de fundo, pela esquerda, e cruzou com precisão para

Mitchell Weiser, que surpreendeu a defesa e cabeceou praticamente livre para o gol.

O quarto gol veio aos 32, quando Demirbay recebeu belo passe de Karim Bellarabi, e, quase da marca do pênalti, acertou linda cavadinha para superar o goleiro Jiri Pavlenka.

O brasileiro Paulinho entrou nos minutos finais, no lugar de Charles Aranguíz (ex-Internacional), e teve poucas oportunidades para aumentar a vantagem dos visitantes.

Com o resultado, no encerramento desta 26ª rodada, o Bayer Leverkusen ocupa a quinta posição da tabela, ainda sonhando em brigar pelo título. Tem 50 pontos, contra 58 do líder Bayern de Munique. Já o time de Bremen soma apenas 18 e está em 17º lugar, o penúltimo da tabela, já dentro da zona de rebaixamento.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir