Cidadeverde.com
Política

TRE/PI busca atrair mesários em meio a receio com a pandemia do coronavírus

Imprimir

Foto: RobertaAline/Cidadeverde.com

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, já manifestou em audiência o receio da Justiça Eleitoral com dificuldades para conseguir mesários dispostos a trabalhar em uma eleição no meio da pandemia. No Piauí, a preocupação também existe e já levou o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) a adotar medidas como formas de garantir a segurança e atrair voluntários.

Na eleição deste ano, o Piauí deve contar com 32 mil mesários distribuídos por seções eleitorais nos 224 municípios do estado. De acordo com o Chefe da Seção de orientação das  Zonas Eleitorais do TRE, Hugo Leonardo, apesar do receio provocado pelo momento, a Justiça Eleitoral do Piauí  ainda não identificou um grande número de pedido de desistências entre os mesários já cadastrados. 

“Temos um canal de voluntários e não percebemos, até o momento, uma  grande demanda de desistências, continuamos a receber novos mesários voluntários e tomamos as providencias para garantir o mínimo risco possível. Orientamos os cartórios que não convoquem eleitores do grupo de risco. Não convocamos acima de 60 anos. Quem tem comorbidades, basta comprovar, que será dispensado.

O Tribunal Eleitoral  faz atividades como os treinamentos serão realizadas de forma virtual. Tudo para garantir a segurança. 

 “Adotamos uma série de  medidas tanto para incentivar o mesário voluntário como também para garantir a  segurança do mesário não voluntário. O TRE aprovou uma resolução onde as convocações serão feitas por meio eletrônico. O mesário pode ser convocado ou por email ou por whatsapp. Os treinamentos serão todos à distância. Vamos disponibilizar a todos os mesários a possibilidade de fazer treinamento à distância. Seja na plataforma do TSE, seja  por meio de aplicativo para celular”, disse. 

O Tribunal Regional Eleitoral afirma que já garantiu os Equipamentos de proteção Individual (EPIs). Outra medida que o Tribunal destaca é a ausência da biometria para evitar filas. 

“Para incentivar o voluntariado já temos há algum tempo várias medidas que vão além dos dois dias de folga que  a lei garante. Cada dia que o mesário fica à disposição da Justiça Eleitoral, fica dois dias de folga do trabalho. Seja treinamento ou dia da eleição. Também temos uma lei estadual que garante isenção em taxa de concurso público, convênio com universidades. O universitário que for mesário, ganha atividades extracurriculares por atuar como mesário.O TRE adquiriu EPIs para os mesários. Máscaras, álcool gel e uma série de medidas para garantir a segurança deles. O fato de não ter biometria foi justamente para diminuir a fila. A biometria demora mais. O distanciamento entre os mesários, tudo será feito”, destacou.

A convocação dos mesários não voluntários terá início dia 18 de agosto. 

Lídia Brito
[email protected]

Imprimir