Cidadeverde.com
Últimas

"Pandemia escancarou a violência contra a mulher", diz delegada Vilma Alves

Imprimir

O isolamento social agravou e muito a violência contra a mulher. A afirmação é da delegada Vilma Alves, titular da Delegacia da Mulher do Centro. 

Os números confirmam o alerta. De acordo com levantamento da Secretaria Estadual de Segurança Pública aumentou em 45% as denúncias no aplicativo Salve Maria durante a pandemia. Os registros nas delegacias caíram, mas há suspeitas de subnotificação e se deve a quarentena em que as mulheres não puderam sair de casa para denunciarem seus parceiros. 

"O simples fato de uma comida queimar, de não sair gostosa ou se o banheiro está sujo e ela vai pedi ajuda dele e ele vai recusar, é um motivo de violência, porque o homem não quer ajudar nas tarefas domésticas. Nesse momento de pandemia precisa ter harmonia, solidariedade, cumplicidade e respeito. E essa mulher que já está com tanta tarefa,  ele vai xingar, vai bater, ameaçar e vai matar como está matando".

Para a delegada, combater a violência e o estupro contra a mulher precisa da ajuda das instituições públicas, privadas e da sociedade.

Segundo ela, a situação é "preocupante", "insuportável", "vexatória" e precisa de um alerta até mesmo das igrejas. 

"A pandemia escancarou a violência contra a mulher e precisa da ajuda de todos".  

Delegacia não é privilégio

Para Vilma, é uma necessidade a criação de novas delegacias da mulher no interior. 

"A Delegacia da Mulher não é privilégio, é necessidade. Além de intimidar, ela faz o trabalho de proteção e prevenção, garantindo os direitos das vítimas. Como eu digo, remédio de doido é doido e meio". 

Vilma volta a reafirmar que a violência familiar e doméstica nasce dentro de casa. 

"A violência não está só nas ruas, nas praças, ela está é dentro de casa. A violência se origina dentro de casa, ela expande dentro de casa, até chegar o feminícidio".

Foto: Yala Sena

Corra para a delegacia

Segundo a delegada, o primeiro sinal de violência a mulher deve procurar a delegacia. 

"Eu digo muito: primeiro puxavanco de cabelo, primeiro tapa, corra para delegacia, vá logo. É até cultural, há esperança da mulher, até porque ele vai se ajoelhar, ele vai pedir perdão, e o coração da mulher e uma manteiga, ela pensa que ele não vai fazer mais. Como muitas dizem: ele vai melhorar, doutora. E eu digo: melhora não, minha filha".

Delegacia da Mulher Centro de novo endereço

Fica na rua Campos Sales, nº 2329, no bairro Marquês, em frente ao Sapucaia próximo a maternidade Santa Fé. No mesmo prédio da Corregedoria Geral da Polícia. Fone (86) 3216-5207. O Cidadeverde.com esteve na delegacia e recebeu reclamação de duas vítimas que estavam lá afirmando que o distrito ficou difícil de acesso a ônibus e de localização.   

 

Flash Yala Sena
[email protected]

Imprimir