Cidadeverde.com
Política

Em Teresina, presidente do FNDE diz que educação deve receber R$ 500 milhões para volta às aulas

Imprimir
  • simone_-51.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-58.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-57.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-56.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-55.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-54.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-53.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-52.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-50.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-49.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-48.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-47.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-46.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-45.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-44.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-43.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-42.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-41.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-40.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-39.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-38.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-37.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-36.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-35.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-34.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-33.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-32.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-31.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-30.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-29.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-28.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-27.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-26.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-25.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-24.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-23.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-22.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-21.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-20.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-19.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-18.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-17.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-16.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-15.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-14.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-13.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-12.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • simone_-11.jpg Roberta Aline / Cidade Verde

O presidente do Fundo Nacional da Desenvolvimento da Educação (FNDE), Marcelo Lopes, afirma que o Ministério da Educação  deve destinar R$ 500 milhões para o retorno às aulas em todo o país. Os recursos serão utilizados  na preparação e adequação das escolas às novas normas sanitárias e  pedagógicas que serão adotadas pelas escolas. 

"Não paramos de mandar o recurso para as escolas. O recurso chega até o final do mês para volta às aulas. São R$ 500 milhões para o Brasil inteiro. A questão de retorno é determinado pelas prefeituras e pelos governos. O MEC só auxilia. Mas não toma essa decisão", afirmou o presidente que não soube precisar os recursos que serão destinados para Teresina. 

Desde 2013, o Fundo já investiu 40 milhões em Teresina. Durante o evento, o presidente assinou o termo de compromisso para a construção de uma creche no Parque Brasil IV. O valor da obra será superior a R$ 2 milhões. 

Marcelo participou da inauguração da creche Lindalma Soares na zona Sul da capital. A inauguração faz parte do programa Proinfância do Governo Federal. 

A visita do presidente do FNDE se deve, também,  a comemoração da nota que Teresina recebeu no Índice de Desenvolvimento Básico (Ideb), a maior entre as capitais do país.  Segundo ele, a capital do Piauí virou referência para a educação do Brasil.

O evento contou com a presença do prefeito Firmino Filho ( PSDB) e do senador Ciro Nogueira (Progressistas). Foi o senador quem indicou Marcelo para ocupar o cargo no governo do presidente Jair Bolsonaro. 

Para 2020, o FNDE tem previsto um orçamento de R$ 53.2 bilhões para investir no país. "O FNDE tem sido parceiro de Teresina. A cidade é a primeira do Ideb. Faz essa parceria credenciada para realizar  projetos que os parlamentares indicam e o próprio presidente Bolsonaro encaminha para cá.  É importante por ser uma capital de um estado do Nordeste. E virou uma referência nacional na educação, disse.

O senador Ciro Nogueira afirma que Teresina deverá receber 40 creches. "A educação é uma bandeira de Teresina. A quantidade de creches é muito importante. Serão 40 creches com o BNDS. Poucas cidades do país terão essa estrutura. Todo o setor do FNDE tem esse compromisso com a educação. Tenho certeza que o presidente Bolsonaro vai continuar investindo em Teresina. Disse para o Marcelo que Teresina precisa de mais", destacou.

Marcelo Lopes também destacou a importância da construção de creches. "Represento o ministro Milton Ribeiro. Mas uma ação do presidente Bolsonaro em nome da educação. Me sinto em casa e com Ciro aprendi a amar o Piauí.  O principal projeto do Proinfância é garantir acesso a escolas. É a primeira creche que eu entrego. Isso é importante para que as mães possam trabalhar e os filhos possam ser bem cuidados. Esse de Teresina será um projeto piloto para implantar no país. Não podia vir ser trazer um presente que é mais uma creche. A prefeitura cumpriu tudo em tempo recorde. Com isso já pode licitar e iniciar ", destacou.
O prefeito Firmino Filho destacou a importância da inauguração de creches. Ele também destacou o resultado do Ideb.

“Vai atender com muita qualidade as crianças. É um padrão muito bonito. São creches mais bonitas do que as escolas de elite de Teresina.  A infraestrutrua é muito bela, de primeiro mundo. É o fortalecimento da educação infantil. É o grande alicerce da educação. Não precisamos massificar, mas tratar com cuidado e atenção com a consolidação do nosso sistema de educação. Teresina se destaca no país como a melhor educação ”,a firma. 

O prefeito afirma que a meta é 50% das crianças tenham acesso à creches. “Temos um déficit de ofertas de  0 a 3 anos. Universalizamos a educação infantil de 6 a 14 anos. Há quatro anos universalizamos a pré-escola de  4 a 5 anos. E lutamos entre 6 meses a 3 anos de idade. Atendemos aproximadamente 38% das crianças. A meta nacional é de 50%. Acreditamos que com novas estratégias poderemos massificar muito mais rápido.  Tem a Parceria Público Privada com o BNDS, que vai permitir fazer 40 creches nos próximos dois anos. Se descobrimos a fórmula de financiar rapidamente, poderemos fazer sem precisar do orçamento geral da União, poderemos crescer e universalizar a oferta. Estamos na vanguarda do Brasil, criando um novo modelo de financiamento”, afirma.

Lídia Brito
[email protected]

Imprimir