Cidadeverde.com
Cidades

Prefeito e primeira-dama são liberados de delegacia e dizem que são vítimas de perseguição

Imprimir

O prefeito de Agricolândia, Walter Alencar (Progressistas), alvo de operação deflagrada nesta quinta-feira (8) pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do Ministério Público Estadual, afirma que está sendo vítima de perseguição do "poder dominante".

O prefeito e sua esposa, Kelly Alencar (PTB), foram conduzidos à Delegacia Regional de Água Branca após agentes do Gaeco encontrarem, na residência do casal, uma suposta lista de eleitores, R$ 87 mil em dinheiro, uma arma e R$ 40 mil em cheques, além de "bens" que, segundo o Ministério Público, seriam oferecidos aos moradores da região.

Kelly Alencar é candidata a prefeita de Lagoinha do Piauí, cidade vizinha à Agricolândia. Após assinarem um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por crime eleitoral e foram liberados após formalização do procedimento. O caseiro do prefeito foi preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo, mas pagou fiança e também foi liberado. 

Em vídeo gravado após sair da delegacia, Walter Alencar, ao lado da esposa, diz que é vitima de perseguição do prefeito de Lagoinha do Piauí, Alcione Barbosa (Progressistas), que disputa a reeleição com Kelly Alencar. 

O prefeito Walter Alencar se defende, ainda, das acusações do GAECO e afirma que o dinheiro encontrado na casa é referente a venda de garrotes. 

"Adentraram nossa residência por volta de 5h30 e lá encontraram dinheiro  que a gente tinha vendido uns garrotes e tal. Dinheiro da gente. Tem como ser provado que esse dinheiro é fruto de trabalho. Também encontraram brinquedos, enxovais e eles estão querendo relacionar como se fosse crime eleitoral, a gente sabendo que não é. E também sabemos  de onde está vindo essa perseguição, sabemos que é da nossa querida Lagoinha . O poder dominante está percebendo que a população quer mudança e ele, a qualquer custo, quer barrar isso. Vê que não está conseguindo barrar na vontade popular, no voto, e  está levando agora no tapetão. Mas, pode ter certeza, Alcione, que você não vai nos enfraquecer. Cada vez mais vamos com mais força. Você ofendeu a mim e a minha esposa, que vai lhe derrotar", diz. 

O Cidadeverde.com tentou, mas não coseguiu contato com o prefeito de Lagoinha do Piauí, Alcione Barbosa. O espaço está aberto para esclarecimentos. 

Operação IBI CLAUSUS 

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) mira em 19 suspeitos de desvio de recursos públicos.  A operação IBI CLAUSUS cumpriu mandados nas cidades de Passagem Franca, Teresina, Agricolândia, Barro Duro, São Pedro do Piauí, Demerval Lobão e Lagoinha do Piauí.

A investigação criminal apura desvio de recursos públicos, organização criminosa, corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro e fraude à licitação, envolvendo contratos de empresas com o município de Passagem Franca, no período compreendido entre os anos de 2013 a 2020.

Izabella Pimentel
[email protected] 

  • 29_(29).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(28).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(27).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(26).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(25).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(24).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(23).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(22).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(21).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(20).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(19).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(18).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(17).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(16).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(15).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(14).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(13).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(12).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(11).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(10).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(9).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(8).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(7).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(6).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(5).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(4).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(3).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(2).jpg Divulgação / Gaeco
  • 29_(1).jpg Divulgação / Gaeco
Imprimir