Cidadeverde.com
Esporte

Apesar de ter entrando bem em todos jogos, Cazares deve permanecer no banco

Imprimir

O meia Juan Cazares praticamente entrou bem em todos os jogos que realizou pelo Corinthians. O camisa 10 mostrou qualidade técnica, excelente domínio e proteção de bola e ainda deixou o time mais ofensivo sempre que apareceu no segundo tempo. 

No entanto, o equatoriano deve permanecer no banco de reservas no duelo contra o Flamengo, domingo (18), às 16h, na Neo Química Arena, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Na verdade, são dois motivos que devem fazer de Cazares mais um reserva de luxo no momento no time de Vagner Mancini. Além dele, há o meia-atacante Luan, ex-Grêmio, e que ainda não emplacou com a camisa corintiana.

O motivo principal para Cazares permanecer no banco é que Mancini ainda vê o equatoriano muito distante de sua melhor condição física e técnica. O treinador alega que conhece bem o auge de Cazares, pois o comandou recentemente no Atlético-MG, e não politizou ao dizer que o meia está muito distante de ser o jogador que brilhou com a camisa do Galo.

"Eu tive a oportunidade de ter o Cazares como atleta no Atlético-MG e eu a olho nu e te falo que ele está distante daquele jogador fantástico que foi no Atlético. Claro que não temos muito tempo para isso, há necessidade sempre de você acelerar alguns processos para que o atleta possa nos ajudar efetivamente dentro de campo, por isso a opção de deixá-lo no banco de reservas para que participasse de uma parte do jogo. 

Eu acredito que um tempo aí seria necessário até o Cazares entrar em forma realmente, mas como não temos esse tempo, vamos ter que acelerar esse processo dentro de campo. O Cazares a minha intenção é utiliza-lo por dentro, que é onde rende mais, mas eventualmente pelos lados também", afirmou Mancini.

O segundo motivo é que Vagner Mancini deve mexer pouco no time base para a sequência da temporada. Na visão dele, a equipe só tem a perder com excesso de trocas - estratégia utilizada por seus antecessores Tiago Nunes e Dyego Coelho. Os dois mexiam com frequência na escalação inicial e prejudicava o entrosamento e até a confiança dos atletas.

Mancini promete mexer só em caso de necessidade. Aliás, diante do Flamengo, o treinador será obrigado a alterar o time por dois motivos: Ramiro e Bruno Méndez estão suspensos. O primeiro recebeu o terceiro cartão amarelo, enquanto o zagueiro uruguaio foi expulso por agressão.

"Eu, sinceramente, acho que quanto mais eu mexer na equipe agora, a não ser que seja por lesão ou suspensão, mais tempo a gente vai demorar para mudar o padrão tático da equipe. Neste momento que nos chegamos é muito importante que você repita o máximo que você puder dentro de uma condição física, também, para que possa desenvolver um padrão, que é o que espero do time", disse o técnico.

Everaldo, autor do gol da vitória sobre o Athletico-PR, e Otero, que retorna da seleção venezuelana, são os candidatos com mais chances de ficarem com a vaga de Ramiro. Se optar por uma escalação mais cautelosa, Mancini ainda pode escolher por Cantillo, que estava a serviço da seleção colombiana.

No lugar de Méndez, o treinador conta somente com um substituto da posição no elenco: Marllon, zagueiro que retornou de empréstimo do Cruzeiro após Danilo Avelar passar por cirurgia ligamentar no joelho. Mancini ainda citou o jovem Xavier, volante que se destacou na vitória contra o Athletico, como uma das opções improvisadas no setor.

Vale ressaltar que Cássio deve voltar ao gol, apesar de Walter ser o melhor jogador do Corinthians na vitória em Curitiba. O camisa 12 cumpriu suspensão após ser expulso por reclamação na derrota para o Ceará, no último domingo (11).

SAMIR CARVALHO
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS)

Imprimir