Cidadeverde.com
Esporte

São Paulo goleia Flamengo no Maracanã pelo Brasileiro

Imprimir

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net 

 

Em outubro do ano passado, Fernando Diniz fez seu primeiro jogo como técnico do São Paulo. Foi no Maracanã, contra o Flamengo em um empate em 0 a 0. Em 13 meses, o treinador balançou algumas vezes no cargo, ouviu reclamações e teve a demissão pedida por torcidas organizadas. Neste domingo (1), ele calou os críticos.

Contra o mesmo adversário e no mesmo estádio, o São Paulo goleou por 4 a 1, pelo Campeonato Brasileiro. Foi uma partida em que os visitantes foram mortais no ataque quando tiveram chances, se aplicaram muito na marcação e contaram com grande atuação de Tiago Volpi, que defendeu dois pênaltis.

Com o resultado, o time paulista chegou aos 30 pontos, cinco a menos que os líderes Internacional e Flamengo. Mas estes dois clubes já atuaram 19 vezes. O São Paulo, 16.

Com 17 jogos, o Atlético-MG (32 pontos) enfrenta o Palmeiras nesta segunda (2).

O Flamengo não perdia em casa desde a primeira rodada do Brasileiro, contra o Atlético-MG.

No intervalo, o São Paulo já vencia por 2 a 1 por saber aproveitar as falhas do adversário. Não parecia que seria assim.

Aos 5, o Flamengo abriu o placar em lance de ligação direta, sem passar pelo meio-campo. Em uma bola do campo de defesa, Bruno Henrique desviou de cabeça. Pedro dominou, se livrou da marcação e chutou colocado, com a confiança de quem vive boa fase. Foi o 10º gol dele no Brasileiro e parecia o sinal de que os donos da casa poderiam aplicar uma goleada. Foi ao contrário.

O São Paulo soube esperar o seu momento e teve destaques individuais, além de Volpi pegar pênalti cobrado por Bruno Henrique antes do intervalo. Tchê Tchê teve frieza para acertar chute colocado no ângulo esquerdo para igualar o placar. E havia também a estrela de Brenner.

O atacante de 20 anos ficou com a bola na falha de Gustavo Henrique e bateu cruzado para virar. Foi seu 10º gol nos últimos oito jogos. Com 14, é o artilheiro do São Paulo na temporada.

Com trocas de passes curtas e muito empenho na marcação, o São Paulo começou o segundo tempo muito melhor que o rival e chegou duas vezes com perigo antes dos 10 minutos.

Aos 11, Gustavo Henrique continuou seu jogo ruim ao cometer pênalti sobre Brenner. Reinaldo converteu. Era uma tarde tão inspirada que o Flamengo teve uma chance de ouro para diminuir cinco minutos mais tarde, ao Gerson ser derrubado na área. Tiago Volpi defendeu de novo, desta vez na finalização de Pedro.

O Flamengo partiu para o ataque e começou a criar oportunidades para diminuir, mas sem aproveitá-las. Falhava no último passe ou no arremate. Às vezes, faltou sorte também, como quando Pedro acertou o travessão com Volpi já batido.

Foi um dos jogos em que a mudança de estilo trazida por Domènec Torrent, de atuar com maior cadência, tornou inevitável a comparação com o do português Jorge Jesus, que priorizava a velocidade e a intensidade.

Com uma capacidade de explorar os espaços e o nervosismo do rival que teria evitado sua eliminação na fase de grupos da Libertadores, o São Paulo ainda fez o quarto gol com Luciano, com lançamento de Tiago Volpi. Só não anotou o quinto com Vitor Bueno porque Hugo fez boa defesa.

Mas o time já havia feito o bastante para que Fernando Diniz vibrasse muito no banco de reservas, abraçado com outros integrantes da comissão técnica.

FLAMENGO
Hugo Souza; Isla, Gustavo Henrique, Natan (Léo Pereira) e Filipe Luís; João Gomes, Gerson e Everton Ribeiro (Lincoln); Vitinho (Michael), Bruno Henrique e Pedro. Técnico: Domènec Torrent
SÃO PAULO
Tiago Volpi; Tchê Tchê, Bruno Alves, Diego Costa e Reinaldo (Léo); Luan, Daniel Alves, Igor Gomes (Vitor Bueno) e Gabriel Sara; Luciano e Brenner (Pablo). Técnico: Fernando Diniz
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Auxiliares: Jean Marcio dos Santos (RN) e Vinicius Melo de Lima (RN)
VAR: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro (RN)
Gols: Pedro, aos 5 minutos do primeiro tempo; Tchê Tchê, aos 16 minutos do primeiro tempo; Brenner, aos 45 minutos do primeiro tempo; Reinaldo, aos 13 do segundo tempo. Luciano, aos 36 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Isla, João Gomes, Gerson, Gustavo Henrique (FLA); Diego Costa, Volpi, Daniel Alves (SAO)

Fonte: FOLHAPRESS

Imprimir