Cidadeverde.com
Geral

TRE define urnas eletrônicas que passarão por auditoria no Piauí

Imprimir
  • votação_paralela4.jpg Naty Santos e Debora Radassi
  • votação_paralela2.jpg Naty Santos e Debora Radassi
  • votação_paralela1.jpeg Naty Santos e Debora Radassi
  • votação_paralela.jpg Naty Santos e Debora Radassi
  • votação_paralela_3.jpg Naty Santos e Debora Radassi
  • votação_paralea4.jpg Naty Santos e Debora Radassi

 

O Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI) realizou na manhã deste sábado (14) o sorteio das urnas eletrônicas de votação que serão auditadas publicamente pelas equipes da Justiça Eleitoral. Ao todo, foram escolhidas seis seções eleitorais, dentre as 7.964 existentes no Piauí.

Urnas localizadas nos municípios de Campinas do Piauí, Caracol e Pau D'Arco do Piauí passarão pelo processo de auditoria nas própria seções, antes do início do processo de votação. O trabalho é realizado por servidores da Justiça Eleitoral e acompanhado por partidos políticos, representantes da Ordem dos Advogados do Brasil - OAB, Ministério Público Eleitoral, além de fiscais e eleitores que estejam presentes nos locais. 

As outras três urnas sorteadas são dos municípios de Teresina, Cajueiro da Praia e Fronteiras, e passarão pelo processo conhecido como votação paralela. Elas serão trazidas à sede do Tribunal de Justiça, onde acontecerá a auditoria de funcionamento, que é aberta ao público. A votação paralela acontece ao longo de todo o período de votação, das 7h às 17h, e é acessível a qualquer cidadão. 

Os dois processos de auditoria tem como objetivo verificar a autenticidade e integridade dos sistemas utilizados na urna eletrônica. O processo, que é regulamentado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE),tem como objetivo comprovar a lisura do processo. 

"A urna é um sistema muito seguro, muito tranquilo, tanto é que nós damos exemplo para o mundo inteiro. Mesmo assim, o TSE determina que se faça auditoria em urnas que são sorteadas aleatoriamente. Esse processo tem como objetivo comprovar aquilo que já sabemos, que a urna eletrônica é totalmente segura", explico o juiz eleitoral Aderson Antônio de Brito Nogueira, presidente da Comissão de Auditoria de Votação Eletrônica do TRE-PI. 


Natanael Souza
[email protected] 

Imprimir