Cidadeverde.com
Geral

Enfermeiro suspeito de estupro se apresenta após justiça decretar prisão

Imprimir

O juiz José Olindo Gil Barbosa, da 5ª Vara Criminal da comarca de Teresina, decretou nesta quinta-feira (3) prisão do enfermeiro Ricardo da Silva Paz, suspeito de dopar e estuprar uma acompanhante dentro de um hospital.

O enfermeiro se apresentou à Polícia acompanhado de seu advogado após a prisão ser decretada. O magistrado concedeu prisão temporária por 30 dias.

Ele se apresentou por volta de 12h30 na Delegacia Geral e foi encaminhado ao 12º Distrito Policial.

Por volta das 15h30, o enfermeiro realizou exame de corpo delito no IML (Instituto Médico Legal) acompanho do advogado, Lúcio Tadeu, que faz sua defesa. A delegada Vilma Alves também acompanhou o preso no IML. 

Lúcio Tadeu disse que a defesa vai analisar o inquérito e adotar as providências. Sobre o problema de saúde do enfermeiro, Lúcio disse que ele apresentou uma crise de depressão e procurou atendimento médico. 

 

Matéria original

A delegada Vilma Alves, titular da Delegacia da Mulher Centro, informou ao portal Cidadeverde.com que indiciou o enfermeiro Ricardo da Silva Paz, suspeito de dopar e estuprar uma acompanhante dentro do Hospital São Marcos no último dia 30 de outubro. Nesta quinta-feira(03), familiares e amigos da vítima foram para frente do Tribunal de Justiça pedir que o mandado de prisão seja autorizado. 

A denúncia foi feita pela vítima a Central de Gênero e encaminhada a Delegacia da Mulher. A vítima estava acompanhando o sogro que é idoso e tinha feito cirurgia de bexiga. O suspeito é cunhado e compadre da vítima. Ele é casado com a irmã da denunciante. 

“Ele foi indiciado por estupro com agravamento por ele ter dopado ela com um tranquilizante. A investigação não deixa dúvida de que foi um crime planejado”, disse a delegada.

Ao ser ouvido na delegacia, o enfermeiro permaneceu calado todo o tempo e não respondeu nenhum questionamento de Vilma Alves. Ele estava acompanhado de seu advogado.

A defesa do enfermeiro apresentou atestado médico de 15 dias e um pedido de internação afirmando que ele foi diagnosticado com depressão. 

Vilma destaca que sete testemunhas, que são profissionais de saúde e que trabalham com o enfermeiro, afirmam que ele nunca apresentou qualquer problema mental. O Conselho Estadual de Enfermagem do Piauí (Coren-PI) instaurou um processo ético disciplinar contra o enfermeiro. 

 

Flash Yala Sena
[email protected]

  • enfermeiro1.jpg Yala Sena
  • enfermeiro2.jpg Yala Sena
  • enfermeiro4.jpg Yala Sena
  • enfermeiro5.jpg Yala Sena
  • enfermeiro6.jpg Yala Sena
  • enfermeiro7.jpg Yala Sena
Imprimir