Cidadeverde.com
Esporte

Atlético-MG cede empate ao Inter no fim e deixa São Paulo disparar na liderança

Imprimir

O Atlético Mineiro falhou na tentativa de seguir na cola do São Paulo na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. Com um erro no fim do jogo, só empatou por 2 a 2 com o Internacional, no Mineirão, em partida válida pela 24.ª rodada, permitindo ao time paulista disparar na liderança.

Foto - Ricardo Duarte - Internacional

O resultado, afinal, deixa o Atlético-MG com 43 pontos, a 4 dos 47 do São Paulo, que tem um jogo a menos - enfrentará o Botafogo, quarta-feira, no Morumbi.

Já o time mineiro volta a jogar no sábado, quando visitará o Athletico-PR, na Arena da Baixada, e estará bastante pressionado, pois no meio de semana seguinte fará um duelo decisivo com o líder, também como visitante.

O empate, arrancado no fim e com um time misto, não ameniza a má fase do Inter, há sete rodadas sem vencer no Brasileirão. A equipe, que chegou a liderar o campeonato, agora é apenas a sexta colocada, com 38 pontos.

No confronto deste domingo, o Inter poupou alguns titulares, com foco no duelo de volta das oitavas de final da Copa Libertadores com o Boca Juniors, quarta-feira - perdeu o primeiro, em Porto Alegre. 

Conseguiu abrir o placar com Yuri Alberto, seu principal destaque no Mineirão, mas foi dominado até sofrer a virada, tendo sofrido com um gol contra de Musto, depois sacado no intervalo. Mas lutou para não deixar Belo Horizonte derrotado, tirando titulares do banco no segundo tempo, e conseguiu.

Já o Atlético-MG, ainda que sem brilho na etapa inicial, quando Vargas foi o seu principal destaque, dominou a partida e mereceu a virada, especialmente pelo volume apresentado após o intervalo, quando Keno chamou o jogo. Mas depois diminuiu o ritmo. E pagou caro por um vacilo defensivo.

O JOGO - Na equipe mineira, Jorge Sampaoli estava de volta ao banco de reservas após se recuperar do coronavírus, assim como vários jogadores titulares. Mas ele ainda tinha problemas para colocar o Atlético em campo, como a perda de Jair por lesão e os suspensos Alonso e Savarino. 

E surpreendeu ao escalar um time com três zagueiros e Hyoran no meio-campo. Já a equipe gaúcha poupou vários titulares porque na quarta-feira jogará na Argentina.

Desse modo, o Atlético buscou se impor no início, com os seus alas jogando bem avançados. Quase marcou em uma finalização de fora da área de Arana. Só que logo foi surpreendido. Aos 8 minutos, Yuri Alberto se adiantou a Igor Rabello e cabeceou para as redes, colocando o Inter em vantagem, após ótimo levantamento de Marcos Guilherme. 

Só que a resposta foi imediata. E com falha adversária, pois Musto, aos 10, desviou a bola para a própria meta ao tentar cortar cruzamento de Réver.

Dois gols em dez minutos poderiam ser um indicativo de um primeiro tempo intenso. O Atlético até foi superior no restante da etapa, tendo grande controle da posse de bola, mas o Inter conseguiu encaixar a marcação, ainda dando algum trabalho em lances com Yuri Alberto pela ponta esquerda.

E mesmo sem muito volume de jogo, o Atlético teve chances de ir ao intervalo em vantagem, todas com a participação de Vargas. O chileno teve um gol anulado por impedimento e finalizou duas vezes com perigo. Na primeira, com um toque leve após passe em profundidade de Hyoran. E a outra com um sem-pulo. Mas não acertou o gol em ambas.

Na volta do intervalo, o Atlético, com boas articulações coletivas e apostando em jogadas com Keno, acelerou e passou a ter bem mais volume de jogo, ainda que cometendo alguns erros, como em uma tentativa que o atacante isolou. Mas insistiu. Aos 11, ele encontrou Hyoran, na grande área, escorar para Sasha, que cabeceou para fora.

E o gol saiu aos 15. Keno fez o cruzamento para Hyoran, que se antecipou para cabecear às redes. Assim, premiou a individualidade do ponta e a presença de área do meia-atacante: 2 a 1 Atlético.

O Inter, então, se lançou ao ataque, acionou titulares que estavam no banco e passou a dar trabalho. Um deles, Thiago Galhardo, forçou Everson a fazer difícil defesa aos 29 minutos. Antes, aos 23, tinha realizado cruzamento perigoso, não aproveitado por Yuri Alberto. Já Lindoso bateu de longe e quase marcou, ajudado por um desvio.

Aos poucos, porém, o Atlético conseguiu conter o ímpeto do Inter e buscou esfriar o duelo. Só que um vacilo custou caro. Réver, ao tentar afastar a bola após passe perigoso de Alan, acertou a cabeça de Maurício. "Virou" passe para Peglow, livre e dentro da área, tocar na saída de Everson: 2 a 2.

Por Leandro Silveira
Estadão Conteúdo

Imprimir