Cidadeverde.com
Política

Robert Rios pede a Sindicato que suspenda greve e solicita trégua de 60 dias

Imprimir

A equipe de transição do prefeito eleito Dr. Pessoa (MDB) se reuniu na tarde dessa quarta-feira (16) com os grevistas do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Teresina. O vice-prefeito eleito, Robert Rios fez uma proposta ao Sindicato para que a categoria suspender a greve e dê uma trégua de 60 dias para que a nova gestão possa encontrar uma solução para o impasse.

Os professores da educação municipal estão em greve há 281 dias.  A reunião aconteceu em plena cerimônia de diplomação dos candidatos eleitos, no escritório de transição do Dr Pessoa, no bairro São Cristóvão. A reunião foi comandada pelo vice- prefeito Robert Rios e pelo ex ministro João Henrique de Sousa, coordenador da equipe transição. 

Toda a direção do Sindiserm participou. Estiveram presentes o  coordenador geral do Sindicato, Sinésio Soares, o novo secretário de Educação, Nouga Cardoso, o furuto presidente da Fundação Municipal de Saúde, Gilberto Albuquerque,  e o secretário anunciado de Governo, Adolfo Nunes. 

Nouga Cardoso disse ao Cidadeverde.com que a equipe está pedindo essa trégua para saber o “débito” que a prefeitura possui junto aos servidores municipais da educação.

“Eles reclamaram do atraso no pagamento do piso dos professores, além de descontos feitos no contracheque dos grevistas. Pedimos esta trégua para saber o débito e retomar  nosso calendário letivo”, contou Nouga. 

O novo secretário convidou a direção do Sindiserm para fazer um reunião  na próxima semana com a equipe da Educação para encontrar uma saída para esse impasse.  Robert Rios pediu que, a partir do dia 1º de janeiro, a greve seja suspensa e o sindicato dê um “crédito de confiança” de 60 dias para a nova equipe.

“É para gente resolver e apresentar uma proposta”, afirmou Robert Rios, que acompanhou a diplomação de Dr Pessoa pela metade, que estava comandando a reunião. Sinésio Soares disse que a categoria vai ter que fazer uma assembleia para decidir sobre a possível suspensão da greve. 

Segundo o sindicalista, essa assembleia pode acontecer antes do dia 4. A equipe de transição foi informada pelos grevistas que a gestão do prefeito Firmino Filho iniciou o pagamento do piso salarial de R$ 2.886,24 em agosto deste ano, mas não pagou o retroativo a 1º de janeiro , quando começou a vigorar a Lei do Novo Piso.

O sindicato também informou que a prefeitura, de julho até novembro, descontou nos salários dos grevistas R$1, 2 milhão. “Ao todo 81 servidores foram punidos  estão tendo que fazer empréstimo”, acrescentou Sinésio.  


Flash Yala Sena
Izabella Pimentel [Da redação]
[email protected] 

  • grevista2.jpg Yala Sena
  • grevista3.jpg Yala Sena
  • grevista4.jpg Yala Sena
  • grevista5.jpg Yala Sena
  • grevista6.jpg Yala Sena
  • grevista7.jpg Yala Sena
  • grevista8.jpg Yala Sena
  • grevista9.jpg Yala Sena
Imprimir