Cidadeverde.com
Geral

Amariles Borba e Joaquim Parente criticam negacionistas e pedem: “vacinem sem medo”

Imprimir

Os primeiros piauienses que receberam a Coronavac no estado reforçam a segurança da vacina e criticam os negacionistas. Para o obstetra Joaquim Vaz Parente, 76 anos, o início da campanha no país traz "uma luz no fim do túnel" e é a única forma de barrar o avanço da doença. A médica Amariles Borba, 77 anos, manda um recado para as pessoas que não confiam na vacina.

“Essas pessoas deveriam ler. A literatura mundial mostra que a vacina é efetiva, é verdadeira e vamos confiar na vacinação. As pessoas precisar ler mais, estão lendo muito pouco”, adverte Amariles Borba, profissional tem 20 anos como funcionária na Fundação Municipal de Saúde (FMS) e exerce o cargo de Diretora da Vigilância em Saúde (DVS). 
 
Segundo o médico, o sentimento é de esperança, já que a vírus já dizimou várias famílias. Ele lamentou os negacionistas que criticam e criam fake news (notícias falsas) com a vacina. 

“A ciência é a única no mundo todo. A vacina é de confiança. Não existe dívida do seu sucesso, é a única forma de defensa do coronavírus. Tomem a vacina sem medo, quem poderá ter medo sou eu que tenho 75 anos e eu não tenho medo. A gente só lamenta as pessoas que são contra as vacinas”.

Ele lembrou dos negacionistas sobre a vacina da Poliomielite e, segundo Joaquim Parente, estudos mostraram que as crianças que tiveram Polio foi porque os pais não imunizaram.

Foto:Roberta Aline

“É um legado que pai nenhum deve deixar para seus filhos”. "É a única arma capaz de deter o avanço dessa pandemia que tem destroçado tantas famílias em todo o mundo. A vacina tem dupla finalidade. A primeira é evitar que a doença se agrave. Os dados fornecidos pelo Instituo Butantan mostram que 100% das formas graves e moderadas não apareceram [...] as formas leves não significaram casos de maior morbidade. Esta vacina é fruto de um trabalho científico, dentro e fora do Brasil, de um trabalho intramurus do Instituto Butantan que é uma instituição reconhecida mundialmente pela qualidade do trabalho que faz, e do processo de trabalho para fazê-la chegá-la até o braço do povo, de um grupo de pessoas que foi comandado em um processo organizado, representado pelos governadores dos estados", disse o médico que atua há 45 anos na Maternidade Dona Evangelina Rosa (MDER) e realizou aproximadamente  20 mil partos em toda sua vida profissional. 

Amariles Borba também comparou a importância da vacina contra a Covid-19 com outros imunizantes que, ao longo da história, erradicaram doenças graves. 

"Eu fui escolhida e aceitei de pronto porque acredito na vacina assim como acredito que a dipirona vai passar uma febre. Nós conseguimos eliminar a varíola do planeta terra, graças a vacina. A gente não vê recém-nascido morrendo de tétano, graças a vacina. Então, por que não acreditar? essa vacina é fabricada a partir de vírus morto que vai estimular o nosso sistema imunológico a produzir articorpo porque se o corona chegar, vai ter um exército de defesa para matar esse vírus", disse a médica. 

Ela destaca que a vacinação para o público-alvo começa nesta quarta-feira (20). 

"Precisamos ter uma preparação com as pessoas que vão fazer a vacina. Só tivemos acesso a bula ontem (18) pois só poderia se tornar pública, após a aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)", reitera Amariles Borbas. 


Graciane Sousa e Yala Sena
[email protected]

Imprimir