Cidadeverde.com
Entretenimento

Em documentário, Demi Lovato fala sobre sua vida antes e depois de overdose

Imprimir

Foto: Reprodução
Demi Lovato em cena da série documental "Dancing With the Devil"

A atriz e cantora Demi Lovato, 28, irá estrear um documentário profundo sobre sua vida pessoal nesta terça-feira (23), em seu canal no YouTube. "Dancing With The Devil" é dirigido por Michael D. Rather e contará, do ponto de vista de Demi, sua vida desde a overdose que sofreu em 2018.

Em parceria com a plataforma, o documentário será exibido em quatro episódios, liberados sempre às terças-feiras. Os dois primeiros estarão disponíveis gratuitamente, enquanto os últimos só poderão ser acessados no conteúdo pago do YouTube.

"Tive muitas vidas, como meu gato. Você sabe, estou na minha nona vida. Estou pronta para voltar a fazer o que amo, que é fazer música", disse a artista no vídeo de divulgação do projeto. Em 2017, a cantora havia lançado outro documentário, chamado "Simply Complicated" (Simplesmente Complicado, em português).

No festival SXSW 2021, realizado virtualmente, a cantora disse que nunca pensou em esconder os detalhes da overdose de 2018. "[Quero] mostrar aos meus fãs o quão longe eu fui, a verdade. Acho que vai beneficiar muita gente. Foi muito difícil. Mas sou grata de ter encontrado o meu propósito", disse.

Além disso, a artista disse que escolheu Rather como diretor do projeto devido ao tempo que os dois já se conhecem. "Eu me surpreendi [com o trabalho]. Eu não esperava que fosse tão honesto", conta. Demi afirma que queria alguém que pudesse confiar os momentos mais delicados de sua vida.

No documentário, além dos depoimentos da cantora, serão exibidos imagens do show no Rock in Rio Lisboa de 2018, além de entrevistas de amigos, familiares e pessoas próximas à artista. "Todo mundo apoiou", começa.

"Dani teve mais resistência", fala sobre a dançarina Dani Vitale, que foi acusada de fornecer drogas à cantora. "Mas eu queria dar uma chance para ela contar a história dela", explica. O filme foi gravado em 2020, em meio à pandemia do coronavírus.

Dividir a série em quatro episódios foi uma escolha tomada durante as gravações. "Até o final, eu não sabia como seria. O formato foi o melhor para o conteúdo, para podermos ter conversas sobre temas distintos que acontecem", disse Rather.

Além de abordar detalhes sobre a noite em que sofreu uma overdose, a cantora também abordará temas como sua sexualidade, o fim do seu noivado e até mesmo a perda de sua virgindade, que ocorreu durante um estupro.

 

Fonte: Folhapress

Imprimir