Cidadeverde.com
Geral

Mortes por Covid em Teresina faz prefeitura iniciar a ampliação de cemitérios

Imprimir

Com o aumento no número de mortes por Covid-19, a Prefeitura de Teresina iniciou os estudos emergenciais para ampliar os cemitérios com áreas disponíveis para a abertura de novas sepulturas. “A disponibilidade de covas está ficando insuficiente por causa das mortes por Covid-19”, diz o superintendente das Ações Administrativas Descentralizadas Sul (SAAD Sul), Alípio Paiva, que visitou o Cemitério Santa Cruz, no bairro Promorar, que poderá ser o primeiro a passar por ampliação. Um novo cemitério na zona Norte deverá ser inaugurado no próximo mês. A SAAD Leste também estuda a ampliação do Cemitério Santa Mônica com novas 1.800 vagas.. 

“O prefeito Dr. Pessoa tem cobrado por essa ação, mas esse problema de vaga, vivenciada em vários cemitérios da cidade, é de longa data. Agora, com a pandemia, houve um crescimento substancial de sepultamentos. Encontramos essa área dentro do Cemitério Santa Cruz. Os técnicos vão iniciar os estudos topográficos nesta semana e fazer os cálculos de quantas sepulturas poderemos abrir”, diz o superintendente. Essa nova área está degradada e vai passar por adaptações, como aterramento. O superintendente acredita que essa ampliação no Cemitério Santa Cruz irá atender a população por pelo menos um ano. 

Na última terça, o superintende também visitou uma área para iniciar os estudos para a construção de um novo cemitério na zona Sul, que deverá ser instalado na região entre o Polo Empresarial Sul e o bairro Torquato Neto. A área pertence à Prefeitura de Teresina e tem cerca de 76 mil m². Os técnicos que visitaram o espaço também aprovaram a localização. Inicialmente, a Prefeitura de Teresina irá ampliar o Cemitério Santa Cruz para atender a demanda urgente.

O Cemitério Santa Cruz é o único na zona Sul com vagas.  O Cemitério Dom Bosco, no bairro Vermelha, e o cemitérios Areais, já estão lotados. Nesses dois, apenas famílias com a certidão de perpetuidade podem fazer novos sepultamentos nas covas já existentes. 

Foto: SAAD/SUL



ZONA NORTE

A superintendente da SAAD Norte, Ana Paula Santana, confirmou ao Cidadeverde.com que o Cemitério Camboa, na região da Santa Maria, zona Norte de Teresina, deverá ser inaugurado em abril deste ano. O novo cemitério possui uma área de aproximadamente nove hectares. Atualmente, estão prontos 20 jazigos com três vagas cada um. Uma nova licitação deverá ser feita para a construção de mais jazigos. “Estamos nos programando para entregar no próximo mês. Estávamos dependendo de uma licença, que está sendo resolvido”, diz.

Ana Paula Santana acrescenta que as equipes fazem levantamento da quantidade de vagas nos demais cemitérios da região: São João Batista, na região da Santa Maria das Vassouras; Santo Antônio, no bairro Buenos Aires; Cemitério Poti Velho e da Santa Maria da Codipi.

“Nós estamos fazendo um trabalho intensivo de recadastramento, organizando as vagas, pois, quando chegamos, disseram que todos os cemitérios estavam lotados. Com esse trabalho, já encontramos 15 novas vagas no cemitério Santo Antônio, no Buenos Aires”. 

Cemitério Camboa. Foto: Lucas Dias/PMT


ZONA LESTE

O único cemitério público na zona Leste de Teresina que possui vagas em aberto com capacidade de ampliação é o Cemitério Santa Mônica, na região do bairro Pedra Mole. A Superintendência das Ações Administrativas Descentralizadas Leste (SAAD Leste) informou ao Cidadeverde.com que já adquiriu uma área para ampliar o número de jazigos. A expectativa é de que sejam criadas 1.800 vagas. Se eles forem de duas gavetas, a oferta aumentará para 3.600 vagas. A ampliação está em fase de projeto. 

Atualmente, o Cemitério São Judas, no bairro Noivos, e o Cemitério Mirante dos Morros, no bairro Morros, estão perpetuados, ou seja, os jazigos já estão pertencentes a familiares de pessoas sepultadas.  

ZONA SUDESTE 

O superitendente Zé Nito, da SAAD Sudeste, comenta que, pelos registros, o Cemitério do Renascença, só possui capacidade para abrir três novas sepulturas. 

"A situação do Cemitério do Renascença, hoje, podemos dizer que é caótica, pois temos uma superlotação. Temos espaços para novas sepulturas em número de três, ou seja, somente três sepulturas novas poderão ser abertas no cemitério. Não temos áreas ociosas para que possamos abrir novas sepulturas".

Sobre o Cemitério São Sebastião, no bairro Todos os Santos, está lotado. "O que estamos fazendo é um levantamento do Renascença I, no sentindo de identificar as sepulturas que já tem mais de 5 anos e os familiares não procederam com o termo de perpetuidade. Uma vez identificadas é possível novos sepultamentos nesses locais. Para isso, estamos agilizando esse levantamento, mas a realidade é que esse cemitério no momento está superlotado". 

Carlienne Carpaso
[email protected] 

Imprimir