Cidadeverde.com
Esporte

Fred faz dois, e Fluminense vence o Santa Fé com um a menos na Libertadores

Imprimir

O Fluminense sofreu, mas venceu o Independiente Santa Fe nesta quinta (28), por 2 a 1, com gols de Fred, pela Libertadores. Com um a menos desde os 25 do segundo tempo, a equipe de Roger Machado segurou os colombianos e garantiu a primeira vitória na competição.

Foto: Lucas Merçon/FFC

Com a vitória, o Tricolor soma quatro pontos e está em segundo lugar no grupo D da Libertadores, atrás do River Plate no saldo de gols. O próximo duelo do Flu também é na Colômbia, contra o lanterna Junior Barranquilla, na quinta (6).

FRED BRILHA

O Fluminense viu mais uma noite de gala de Fred pela Libertadores. O camisa 9 marcou dois gols, ganhou todas no pivô, deu lindos passes para os pontas e fez história mais uma vez pelo Tricolor. Agora, o ídolo é o segundo maior artilheiro da história do clube.

EXPULSÃO ATRAPALHA

Quando o Fluminense começava a segurar melhor a pressão do Independiente Santa Fé no segundo tempo, Egídio tratou de atrapalhar o time. Já amarelado, o lateral-esquerdo quis revidar chegada mais dura na disputa de jogo aéreo, chutou Caballero e deixou o Tricolor com um a menos, com mais de 20 minutos pela frente no jogo.

FRED ALCANÇA MARCA HISTÓRICA

O jogo ainda estava em seu início quando Fred escreveu mais um capítulo em sua história de idolatria no clube. Aos quatro minutos, o centroavante aproveitou linda jogada de Kayky e belo passe de Nenê para dominar na área, ajeitar e balançar as redes pela 184ª com a camisa tricolor.

Na segunda etapa, cabeceou forte em cruzamento preciso de Egídio para aumentar o placar. Com os dois gols - já são oito em sete jogos em 2021 -, o camisa 9 se tornou o segundo maior artilheiro da história do clube, ultrapassando Orlando Pingo de Ouro. Quem lidera a lista é Waldo, com 319 gols.

TIME ABDICA DA POSSE DE BOLA

Apesar da vantagem inicial, o Flu abdicou completamente da posse de bola e se fechou no campo de defesa. A estratégia do time de Roger Machado passou a ser explorar o pivô de Fred, com os passes de Nenê para a velocidade de Kayky e Luiz Henrique. 

Com isso, a posse de bola ficou praticamente em 80% para o Independiente Santa Fé, que incomodava pela ponta esquerda com Junior Arias. 

O problema é que, espertos, os colombianos paravam as transições tricolores com faltas ainda no campo de ataque, e contava com a leniência da arbitragem, que não deu cartões amarelos durante o rodízio de faltas. E aos 18, Marcos Felipe salvou o Tricolor em chute à queima-roupa de Seijas.

CHUTE NO TRAVESSÃO

Mesmo sem ter muito a posse, o Tricolor era mais perigoso quando chegava ao ataque. Aos 29, Egídio achou Kayky dentro da área, e o jovem de 17 anos deu lindo passe para Martinelli, que pegou bem na bola e carimbou o travessão de Castellanos. 

Por pouco, o Flu, que sofria com as inversões do Independiente Santa Fé para as pontas, não aumentou a vantagem em Armênia.

SANTA FÉ CRESCE E SUFOCA O TRICOLOR

Com 80% de posse de bola, o Independiente Santa Fé levou muito perigo nos últimos cinco minutos. O Fluminense recuou demais suas linhas, e com Martinelli e Yago colados na zaga, havia muito espaço para os meias e atacantes colombianos se movimentarem.

Apesar de não ser um time rápido, o Santa Fé abusava das inversões de bola nas costas dos baixos Kayky e Calegari.

Em jogadas assim, como aos 32, o Tricolor não sofreu o empate por sorte, já que na pequena área, Jorge Ramos pegou de tornozelo e isolou. Aos 46, na melhor chance colombiana, Arias rolou para Mosquera, que também bateu por cima.

FRED PEGA DE NOVO

O Santa Fé nem teve tempo de se preparar para o intervalo, já sem Arias, destaque da equipe na primeira etapa, quando viu o Fluminense aumentar o placar. Logo no primeiro minuto de jogo, Egídio levou pela esquerda e cruzou com perfeição para Fred, que cabeceou forte, sem chances para Castellanos.

SANTA FÉ DIMINUI

O início do segundo tempo foi tão movimentado que o Tricolor também nem pode aproveitar sua vantagem no placar. Aos cinco, os colombianos repetiram a única jogada que mostravam até então: inversão de bola pelo alto. 

Mas o Flu, sem mexidas e muito exposto, não mostrou reação. Egídio ficou distante, Luccas Claro não cobriu, e Giraldo aproveitou para diminuir para o Independiente Santa Fé.

FLU COM UM A MENOS

A partida começava a ficar mais morna quando o Fluminense ficou com um a menos, e o drama começou. Egídio fez falta boba, tomou o segundo amarelo, e de maneira infantil, acabou expulso. Com 10 em campo, o Tricolor sofreu com os ataques do Independiente Santa Fé.

CAIO BLOIS
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) 

Imprimir