Cidadeverde.com
Geral

Médico alerta sobre regras de expedição de laudos para vacina de pessoas com comorbidades

Imprimir

 

Com o início da vacinação de pessoas com comorbidades,  a procura por laudos médicos tem crescido em Teresina nos últimos dias. A avaliação é da Sociedade Brasileira de Cardiologia no Piauí, que faz um alerta para os pacientes que buscam esse tipo de documento para receber as doses do imunizante. 

"O seu médico não pode atestar aquilo que não é verdade. Não peça ao seu médico para ele aumentar o número de remédios, para ele atestar algo que ele não possa, porque isso pode implicá-lo de forma ética e criminal. O código penal traz a legislação específica para laudos médicos falsos. infelizmente, tem acontecido isso. Temos ouvido relatos", alerta o médico cardiologista Luiz Bezerra, presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia no Piauí. 

Ainda na avaliação do médico, os critérios apresentados pela Fundação Municipal de Saúde para a vacinação de pessoas com comorbidades não são  e abrem margens para interpretações equivocadas.  

"Infelizmente, algumas informações não foram muito claras. Por exemplo, arritmias cardíacas. Existem dezenas de tipos de arritmias, desde arritmias muito leves, que não trazem nenhum tipo de impacto. Não está claro nas descrições da Fundação Municipal de Saúde quais arritmias que vão entrar. Então, todo mundo que tem arritmia vai se sentir no direito", explicou o médico. 

Nesta terça-feira (18), a Fundação Municipal de Saúde de Teresina ampliou para 18 anos, a faixa etária para pessoas com comorbidades se vacinarem contra a covid-19 na capital. Para ter direito a vacina, a pessoa precisa ter alguma das doenças listadas no plano nacional de vacinação ou deficiência permanente. O imunizante que será aplicado é o da Pfizer e por meio de agendamento no site  http://vacinaja.fms.pmt.pi.gov.br

 

 

 

Natanael Souza
[email protected] 

 

Imprimir